1 evento ao vivo

Dona de quatro empresas, engenheira já chegou a fazer faxina

Ao se mudar para São Paulo, a pernambucana Andrea Sabino teve de começar de baixo antes de empreender na área de telecomunicações

  • separator
  • comentários

Aos 30 anos, a engenheira pernambucana Andrea Sabino decidiu jogar tudo para o alto e deixar Recife para recomeçar a vida em São Paulo. Ao chegar à capital paulista, trabalhou como vendedora e faxineira antes de conseguir uma oportunidade na sua área. Ela, no entanto, nunca desistiu, e a perseverança acabou recompensada com o sucesso nos negócios. Vinte anos depois do difícil recomeço em terras paulistas, Andrea hoje é dona de quatro empresas.  

Andrea Sabino foi de Recife a São Paulo para recomeçar a vida aos 30 anos, e se tornou uma empreendedora de sucesso
Andrea Sabino foi de Recife a São Paulo para recomeçar a vida aos 30 anos, e se tornou uma empreendedora de sucesso
Foto: Divulgação

Formada em engenharia eletrônica, ela resolveu tentar a sorte em São Paulo em 1994, após se separar do marido. Deixou seus dois filhos em Recife e foi morar de favor na casa de uma amiga em Santos, no litoral paulista. “Vim sem nenhum dinheiro, e como o único lugar que eu conhecia era o shopping Morumbi, decidi aparecer lá e tentar um emprego em uma loja”, recorda.

Falta de água afeta de boteco a restaurante chique em SP

Empresário aposta no turismo adaptado após ficar paraplégico

Para as pequenas empresas, as Olimpíadas já começaram

A iniciativa deu certo e, além de vendedora, Andrea também se dispôs a ajudar na faxina para ganhar um dinheiro extra, na esperança de trazer seus filhos para a capital paulista. Ao mesmo tempo, ela começou a mandar currículos para empresas na área de telecomunicações, na qual era especializada, mas só conseguiu uma oportunidade quase dois anos depois.

“Era muito duro começar do zero em São Paulo, especialmente para quem é do Nordeste. E eu fui para um mercado extremamente masculino, como é o de telecomunicações. Tinha sempre de me esforçar mais para subir na carreira. Porém, não há nada que resista ao trabalho, e superei o preconceito com a minha competência”, afirma. 

De empregada a patroa
Depois de cinco anos na capital paulista, Andrea finalmente conseguiu trazer seus filhos para perto. Entretanto, logo depois ela teve de sair do país. “Trabalhei em uma distribuidora de celulares que me mandou para o México. Depois fiquei um pouco em Miami, e viajava muito para outras regionais na América Latina e para encontrar com fornecedores na Europa. Não aguentava mais esta rotina por conta da minha família, e decidi ter meu próprio negócio”, lembra.

Assim, em 2000 ela criou a BrightCom, empresa que comercializou no Brasil as primeiras placas para notebooks acessarem a internet sem fio. “Vi uma oportunidade que ninguém estava vendo, e deu certo. Depois, criei uma empresa para distribuir equipamentos de informática focados em mobilidade”, explica.

Com a chegada da TV digital ao Brasil, Andrea identificou uma nova oportunidade de negócio e, em 2008, montou a Sagna, a primeira fábrica de antenas capazes de receber este tipo de sinal no Brasil. “Nenhuma fábrica de antenas estava preparada para esta tecnologia, e eu fui a primeira a disponibilizar o produto. Sempre tenho o olho aberto para trazer inovação, e isso ajuda a alcançar o sucesso”, diz.

E por falar em inovação, em sua mais recente empreitada empresarial, Andrea decidiu se aventurar em uma área totalmente diferente, por influência de seu marido, que é médico. “Incentivei ele a abrir uma clínica de pneumologia, que é a sua especialidade. Era uma área nova para mim, estou aprendendo muito a cada dia, mas está dando super certo. Recentemente tivemos de mudar para uma sede maior, para dar conta da demanda de pacientes”, finaliza.

Fonte: PrimaPagina

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade