PUBLICIDADE

Saiba como avião comercial é transformado em jato executivo

17 ago 2012
08h36 atualizado às 10h03
08h36 atualizado às 10h03
Publicidade
Felipe Oliveira
Direto de São Paulo

Dois dos jatos mais caros da Labace, feira de aviação de São Paulo, são modelos executivos derivados de aviões comerciais. Os concorrentes Airbus ACJ318 - que custa US$ 68 milhões - e Embraer Lineage 1000 - que tem preço inicial de US$ 53 milhões - possuem a estrutura de aviões comerciais que passaram por modificações para, assim, atender clientes que preferem fazer voos particulares neste tipo de aeronave. O ACJ318 tem a mesma plataforma do A318, avião comercial que transporta até 109 passageiros, enquanto o Lineage 1000 tem a plataforma do E190, capaz de voar com 110 pessoas. No entanto, as principais diferenças entre esses jatos executivos e os aviões comerciais que os originaram estão na cabine e na autonomia de voo.

Apesar de partir do mesmo projeto e utilizar motor da mesma família, o Lineage 1000, por exemplo, recebe mais potência do que o E190, além de mais tanques de combustível.

"Nós desenvolvemos uma solução interior. Adicionamos tanques de combustível no bagageiro e dobramos o alcance do avião", disse o vice-presidente de aviação executiva da Embraer, Marco Túlio Pellegrini. Para se ter uma ideia, o Embraer 190 - que faz parte da frota da Azul Linhas Aéreas, por exemplo, - tem autonomia de voo de 2 mil milhas, enquanto o Lineage permite viagens de 4,5 mil milhas.

Além disso, o peso de decolagem das aeronaves é diferente. Enquanto o E190 consegue realizar decolagens com até 50 mil kg, o Lineage 1000 consegue partir com 54 mil kg. A diferença está explicada no motor: o E190 é equipado com um de 18,5 mil libras ante um motor de 20 mil libras de tração no Lineage.

O diretor de marketing da Airbus, David Velupillai, segue a mesma linha e destaca que este tipo de aeronave executiva de grande porte é "destinada a três segmentos específicos: empresas, governo e bilionários que fazem viagens internacionais".

Segundo Velupillai, as diferenças também são claramente vistas no conforto, sendo que as companhias tentam atender aos desejos dos clientes no momento da escolha de um jato executivo.

"A cabine é mais alta e mais confortável e o cliente pode escolher os equipamentos que quiser. Já damos a opção de avião mobiliado, mas o cliente pode fazer sua escolha, O preço, contudo, não tem muitas mudanças, girando sempre em torno dos US$ 68 milhões".

A Latin American Business Aviation Conference & Exhibition (Labace) é a segunda maior feira do mundo na área de aviação executiva. Na edição de 2012, traz cerca de 70 aeronaves executivas, de fabricação nacional e estrangeira, e cerca de 190 expositores. São esperados 16 mil visitantes para três dias de feira, de 15 a 17 de agosto, e o valor da entrada é R$ 200. Os ingressos podem ser comprados no local. O evento atrai compradores, pilotos e profissionais do setor, mas é aberto a todo público.

O ACJ318 tem a mesma plataforma do A318
O ACJ318 tem a mesma plataforma do A318
Foto: Fernando Borges / Terra
Fonte: Terra
Publicidade