publicidade
23 de novembro de 2012 • 17h04

Wal-Mart nega "maquiagem" e diz que vendeu 1 semana em 1 dia

 

O Wal-Mart divulgou nesta sexta-feira que o movimento em sua loja on-line hoje, em função dos descontos promovidos para a Black Friday, foi equivalente a uma semana de vendas em dias normais. De acordo com o vice presidente de e-commerce da empresa, Flavio Dias, o movimento este ano será entre cinco e seis vezes maior que o da Black Friday de 2011. O executivo afirmou que televisores, notebooks, tablets e refrigeradores foram os itens mais procurados pelos consumidores no site da loja nesta sexta, contudo, houve uma busca inesperada por outros produtos como fraldas, medidores de pressão, aparelhos de jantar e aspiradores de pó.

O executivo disse que houve negociações com fornecedores desde março para garantir descontos especificamente para hoje. Dias disse que viu pela imprensa - a companhia não havia recebido comunicação até as 19h - a informação de que o Wal-Mart foi uma das empresas notificadas pelo Procon-SP por suposta "maquiagem" de descontos e que ficou "indignado" com o fato. "Todo e qualquer produto tinha um desconto verdadeiro. Os preços desses itens tinha um desconto real em cima dos que foram praticados nos últimos meses", afirmou o executivo, que também disse que a central de clientes do Wal-Mart não registrou reclamação de cliente a respeito de preços.

A expectativa do Wal-Mart é que esse movimento hoje aumente as vendas de sua loja on-line no Natal deste ano. "Um terço dos clientes que compraram hoje (no Wal-Mart) foram de novos compradores em e-commerce, pessoas que tiveram sua primeira compra em internet", disse o executivo. "Isso aumentará nossa base de vendas para o Natal.

Procon
A Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) disse nesta sexta que notificou as empresas Extra (lojas física e virtual), Ponto Frio, Submarino, Americanas.com, Wal-Mart, Saraiva e Fast Shop, por indícios de maquiagem nos descontos, com base em denúncias que chegaram por meio de consumidores. As empresas têm até a próxima sexta-feira para responder sobre o assunto.

Terra