4 eventos ao vivo

Publicidade alternativa ajuda a divulgar pequenos negócios

Mensagens SMS, projetores ambulantes e espelhos mágicos são algumas das novas formas de popularizar marcas e produtos

29 ago 2014
08h09
atualizado às 09h28
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Instalado em corredores de shoppings e mercados, o voice media veicula propagandas em áudio para as pessoas que ficam paradas no local indicado
Instalado em corredores de shoppings e mercados, o voice media veicula propagandas em áudio para as pessoas que ficam paradas no local indicado
Foto: Divulgação/Agência Pimenta

O universo da comunicação está passando por grandes transformações, e as possibilidades abertas pelas novas mídias podem ser aproveitadas pelas pequenas empresas para divulgar suas marcas e produtos de formas mais criativas e eficientes. Em vez de gastar pequenas fortunas em campanhas publicitárias voltadas para os meios de comunicação tradicionais – como jornais, revistas, rádio e televisão – os empreendedores hoje podem investir em estratégias de divulgação arrojadas, como voice media, espelhos mágicos, projetores móveis, monitores ambulantes, mensagens SMS e até anúncios em sacos de pão.

O investimento em mídias alternativas pode trazer ótimos retornos, pois muitas vezes elas acabam impactando o consumidor de uma forma inusitada, afirma Alexander Fernandes, sócio da Agência Pimenta, que trabalha com novas formas de divulgação.

Dono do Boticário transformou farmácia em negócio bilionário

MEI garante aposentadoria e benefícios em caso de acidentes

Dono de bar economiza R$ 7 mil cortando desperdícios

As empresas que querem se comunicar com seus clientes sem gastar muito podem recorrer a estratégias que não demandam muito investimento, como divulgar ofertas por meio do envio de SMS seus clientes. De acordo com David Nudelman, sócio da agência Publicidade Popular, que também atua no mercado de mídias alternativas, esta modalidade é ainda mais eficaz para comércios que as pessoas frequentam com maior periodicidade, como mercados ou farmácias, permitindo ao empresário se antecipar a elas.

Outra opção simples, barata e eficiente é a publicidade em sacos de pão. “O saco de pão também é uma alternativa criativa. Com ele, é possível segmentar por bairros e atingir um público bastante específico. Já a veiculação de flyers com papel semente é especialmente interessante para empresas que querem passar uma imagem mais sustentável”, afirma David.

Novas tecnologias
Quem quiser investir um pouco mais pode experimentar soluções que utilizam a tecnologia para divulgar marcas e produtos de formas inusitadas. Um dos recursos trabalhados pela Agência Pimenta é o voice media, uma placa de transmissão de som que pode ser instalada no teto de estabelecimentos, como supermercados e shoppings.

“Ele cria um cone de som direcionado, fazendo com que apenas a pessoa posicionada ao centro dele consiga escutar e entender perfeitamente a mensagem. Um adesivo indica onde a pessoa deve se posicionar, e o voice media pode transmitir jingles e propagandas semelhantes às do rádio, por exemplo”, diz Alexander Fernandes.

Outra possibilidade é a veiculação de propaganda por meio de espelhos mágicos. O aparelho, que pode ser instalado em espelhos de banheiros de shoppings, academias e bares, conta com um sensor movimento. Assim quando uma pessoa se aproxima, ele mostra uma propaganda por alguns segundos, voltando ao normal na sequência.

“Também contamos com um recurso que chamamos de projection man, que consiste em uma pessoa que caminha pelas ruas da cidade com um mini projetor de alta potência, projetando propagandas em fachadas de prédios ou até mesmo em ônibus parados”, acrescenta Fernandes.

Um recurso semelhante oferecido pela Agência Pimenta, de Fernandes, são os screen men, pessoas contratadas para veicular propagandas em um monitor que fica pendurado em seu corpo por meio de um colete. Além de transmitir vídeos, clipes, vinhetas, ou qualquer outro material publicitário, também é possível agregar conteúdos interativos, por meio do uso de telas touch.

Veja também:

Eldorado Expresso: Fome no Brasil
Fonte: PrimaPagina
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade