1 evento ao vivo

Cursos on-line são rápidos, pontuais e baratos

Atualização por meio dessas iniciativas é uma tendência. Sebrae registrou mais de 800 mil matrículas no ano passado; FGV já formou 4 milhões em cinco anos

11 jul 2014
08h00
  • separator
  • comentários

Todo microempresário sabe que é importante se reciclar, aprender coisas novas, manter-se atualizado. E sabe, também, o quão difícil é ter tempo e dinheiro para isso. Os cursos on-line podem ser boa alternativa para driblar tais empecilhos: frequentemente são livres, baratos (ou mesmo gratuitos), não exigem preparo prévio e oferecem flexibilidade de horários: dedicando-se algumas horas por semana, é possível aprender um pouco de teoria empresarial e prática de gestão.

É possível encontrar bons cursos de curta duração e gratuitos na área de gestão de negócios
É possível encontrar bons cursos de curta duração e gratuitos na área de gestão de negócios
Foto: Stokkete/ Shutterstock

Com a plataforma MOOC, que oferece cursos de curta duração de algumas das melhores universidades do mundo, voltados ao grande público, essa alternativa se popularizou ainda mais. Só no ano passado, o Sebrae contabilizou 810.355 matrículas em suas aulas on-line. A Fundação Getulio Vargas (FGV) emitiu 4 milhões de certificados desde que entrou no ramo, em 2008.

“A metodologia à distância permite que o estudo ocorra em qualquer lugar e horário, não obriga o empresário a deixar seu negócio para poder se capacitar”, observa o gestor do Projeto Educação à Distância do Sebrae, Rodrigo Estrela de Freitas. Ele destaca ainda que em vários casos há interação com um tutor, especialista no tema, e troca de experiências com alunos de várias regiões do país.

“Os cursos de curta duração são bons porque o microempreendedor não tem tempo para nada e ele precisa do conhecimento para ontem”, concorda o professor Stavros Xanthopoylos, vice-diretor do Instituto de Desenvolvimento Educacional da FGV.

Alguns dos cursos on-line disponibilizados pela FGV são gratuitos. A duração média é de 5 a 15 horas – ou de até 40, para temas que exigem mais aprofundamento. Geralmente, introduzem o empreendedor em áreas básicas, como marketing, finanças e contabilidade, administração geral, direito, economia e estratégia de gestão.

Para o gestor nacional de educação à distância e de soluções corporativas do Grupo Ibmec, Antonio Carlos Kronemberger, esse tipo de curso é uma maneira de “cortar caminho” para acertar uma estratégia de negócio. “A prática nos ensina pelo pior caminho, que é o do erro. Quando a gente vai buscar a solução na ciência, ela já vem refinada, dizendo o que fazer e o que não fazer.”

Para escolher um curso adequado, Freitas recomenda detectar antes qual a deficiência mais evidente no momento, mas não se restringir ao óbvio. “Muitas vezes, uma área que, a princípio, não tem nenhuma relação com o negócio pode ser a chave da inovação e do sucesso”, acredita. O Sebrae dispõe de oito programas par os microempreendedores individuais, 20 para microempresas e 15 para negócios de pequeno porte.

Mas nem só de cursos livres é feita a educação à distância. O Ibmec oferece, além de 30 horas de aulas em economia e administração, programas de MBA totalmente on-line. São três frentes: Gestão de Negócios, Finanças e Projetos, que exigem que o candidato tenha uma graduação. Os programas foram desenhados de modo a permitir acesso por computador, tablet ou celular, o que deixa o conceito de “a qualquer hora, em qualquer lugar” ainda mais forte.

 

Fonte: PrimaPagina

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade