0

Viagem a Cuba? Turistas devem ficar atentos ao duplo câmbio

31 jul 2012
08h37

Para evitar que surpresas atrapalhem a visita ao destino caribenho, quem pretende incluir Cuba no roteiro de viagem deve ficar atento ao duplo câmbio corrente na isla de la revolución. Lá, os turistas estrangeiros dispõem de uma moeda própria, o peso conversível ou CUC, e o embargo econômico em relação ao vizinho Estados Unidos pode significar prejuízo para o uso de dólares americanos ou cartões de crédito. Por isso, na hora de planejar a viagem, o melhor é conferir a cotação das moedas estrangeiras e calcular a conversão mais vantajosa.

Para evitar prejuízos, turistas devem ficar atentos ao duplo câmbio corrente em Cuba
Para evitar prejuízos, turistas devem ficar atentos ao duplo câmbio corrente em Cuba
Foto: Shutterstock

Ambas as moedas oficiais de Cuba são chamadas peso: o dinheiro utilizado pelos locais é o peso cubano (CUP), regido por regras e princípios do câmbio comum e empregado nas transações econômicas de exportação e importação. O peso conversível (CUC) ou chavito, administrado pelo próprio governo, foi criado devido à desvalorização do peso cubano frente às moedas estrangeiras com o fim do bloco socialista. A prática, que também é adotada pela Coreia do Norte, já integrou a política cambial de países da União Soviética, do Leste Europeu e da China, como conta o professor Evaldo Alves, coordenador do curso de Negócios Internacionais e Comércio Exterior do Programa de Educação Continuada da Fundação Getúlio Vargas. "Hoje, isso vira uma peculiaridade pois não existem muitos países socialistas, e aqueles que eram antigamente estão vindo para a economia de mercado", explica.

A cotação do peso conversível é estabelecida pelas Cadecas, as casas de câmbio oficiais de Cuba. Como se trata de uma medida artificial, não determinada pelas forças do mercado, o CUC não é reconhecido por nenhum banco central no mundo, tendo validade somente dentro da ilha. Por esse motivo, os turistas dificilmente encontram casas de câmbio que trabalhem com o CUC em seus países, mas certamente não terão problemas para trocar o dinheiro em Cuba: a compra do peso conversível pode ser feita logo na chegada, no aeroporto ou nos hotéis, além das diversas casas de câmbio espalhadas por Havana e pelo país.

Porém, é bom pensar duas vezes antes de viajar portando dólares. Embora as duas moedas estejam equilibradas no momento, com cotação de um para um, essa não é a situação padrão ‒ e, devido à relação complicada com os EUA, a troca de dólares ainda está sujeita a uma taxação de 10%. Más notícias também para quem já estava pensando em driblar a matemática das notas com o pagamento em cartão de crédito: o embargo dificulta a operação de bandeiras internacionais e não são aceitos cartões emitidos por bancos norte-americanos. "Na média, o dólar vai custar quase 20% menos que o peso conversível", afirma Elton Bastos, supervisor da agência Vectra Viagens. "É recomendável usar o euro para trocar essa moeda, porque assim o turista ganha um pouco mais na conversão", explica. Atualmente, o euro equivale a CUC$ 1,22 e, assim como o dólar canadense, a libra e os francos suíços, não é tributável.

Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra

compartilhe

publicidade
publicidade