Economia

publicidade
16 de julho de 2012 • 07h54

Vans se sofisticam e vendem de café a temaki e sushi

A Click Sushi é uma unidade móvel que serve comida japonesa em quatro pontos: Sorocaba, Florianópolis, Goiânia e Brasília
Foto: Mario Kato / Divulgação

Não é difícil encontrar carros que vendem comida nas ruas. Agora, além da tradicional "van do cachorro quente", já há no mercado unidades móveis que comercializam alimentos ditos

gourmet

. É o caso das franquias Click Sushi (de comida japonesa), Tostare Café (cafeteria com lanches e opções saudáveis) e Mini Chefs (escolinha de culinária para crianças) e da loja independente Temakeria Navan.



Luis Renato Bischoff, franqueador das três marcas, explica que a iniciativa nasceu por conta do aumento do valor dos aluguéis e da escassez dos pontos de venda considerados bons. Para ele, um ponto adequado é aquele que esteja bem localizado e não exija grandes reformas ou adequações para que o negócio possa operar - já que as obras sobrecarregam o investimento inicial.



As três franquias móveis não estacionam em um ponto fixo, mas firmam parcerias com condomínios, academias e salões de beleza para vender os produtos aos clientes desses locais. "O franqueado sai de casa já com a hora e o ponto onde vai estacionar agendados. Isso traz mais segurança para ele e ajuda a fidelizar os clientes", explica Luis. A negociação de parcerias fica a cargo dos franqueados.



A conveniência também é outro ponto importante do modelo praticado por essas franquias. "Vamos até o cliente e não cobramos a mais por isso. Nossos preços são compatíveis com o mercado justamente porque não temos despesas com o ponto de venda fixo", explica o franqueador.



Ao todo, o modelo de Luis Renato conta atualmente com nove unidades: quatro do Click Sushi (em Sorocaba/SP, Florianópolis, Goiânia e Brasília), quatro da Tostare Café (duas em João Pessoa, uma em Salvador e uma em Feira de Santana/BA) e uma do Mini Chefs, localizada em Campo Grande. A meta é fechar 2012 com 60 unidades operando.



Temakeria Navan

Depois de morar nos Estados Unidos e perceber que alimentação de rua em Nova York era mais comum - e mais incrementada - que a brasileira, o DJ Alan Liao, junto com um sócio, decidiu investir em uma temakeria móvel. "Faltava uma alternativa saudável para comer depois da balada. Algo que você não precisasse pegar o carro", conta.



O início da operação aconteceu em dezembro, na Riviera de São Lourenço, praia de Bertioga (SP). A escolha se deu pelo fato de que Alan era frequentador do local e, com as festas de final de ano e o verão, a promessa de clientes era grande. A aposta deu certo.



"Brinco que tivemos de 'subir a serra' e vir para a capital depois da Páscoa, época em que a praia ficou vazia", explica. Hoje, o carro circula de terça a domingo, entre 18h e 6h, pelas baladas da Zona Sul da capital paulista. Alan não deixou a profissão de DJ, que, aliás, foi importante para firmar parcerias com as casas noturnas. Segundo ele, essas ligações não são formais, mas ajudam a conquistar clientela para a Temakeria Navan. Por dia, são comercializados até 600 temakis.



Até o final do ano, ele e o sócio pretendem franquear o negócio e expandir para fora da cidade. Isso porque, desde 2008, está proibido vender alimentos em carros e caminhões nas ruas de São Paulo. "Nosso maior desafio é lidar com a insegurança gerada pela 'irregularidade' da nossa situação", afirma. De acordo com Alan, a fiscalização é praticamente inexistente e ainda restam muitas dúvidas em torno da questão.

Cross Content