Tributos 2013

publicidade
03 de outubro de 2013 • 20h00 • atualizado em 04 de Dezembro de 2013 às 19h46

SP: IPTU residencial terá aumento médio de 17% em 2014

Segundo projeto, 232 mil imóveis terão redução no valor e 1.031.017 estarão isentos do tributo

 

A Prefeitura de São Paulo anunciou nesta quinta-feira os novos critérios para o pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) em 2014. O aumento médio para residências será de 17,57%, mas o reajuste pesará mais para os imóveis que se situam em faixas mais altas de preço, que terão variação média de 26%. Por outro lado, 232 mil imóveis (cerca de 9% do total) terão redução no valor a ser pago e 1.031.017 estarão isentos do tributo.

A proposta foi enviada nesta quinta-feira à Câmara Municipal e deve ser votada até o fim do ano. A principal mudança na metodologia de atualização dos critérios é a criação de três “zonas fiscais” para calcular o preço do metro quadrado construído, que é um dos itens da fórmula de cálculo do valor venal do imóvel. O IPTU é calculado multiplicando o valor venal e pela alíquota, que será reduzida em 0,1 ponto percentual em todas as faixas, variando de 0,7% a 1,5% em 2014.

<a data-cke-saved-href="http://economia.terra.com.br/infograficos/iptu-sp/" href="http://economia.terra.com.br/infograficos/iptu-sp/">SP: confira os bairros que terão maior aumento de IPTU em 2014</a>

As faixas de preços para as alíquotas também serão corrigidas. Por exemplo, a maior faixa de alíquota, que atingia imóveis acima de R$ 654.100, agora será válida apenas para residências que valem praticamente o dobro: R$ 1,2 milhão. A isenção de IPTU para imóveis residenciais dos Padrões A/B/C também será ampliada para valores até R$ 160 mil, ante R$ 97.587 neste ano.

Segundo a Prefeitura, os valores venais foram atualizados com acréscimo de 63% em média, mas ainda segue defasado em relação ao valor de mercado. De acordo com o projeto, bairros periféricos ficarão na Zona Fiscal 3 e terão valores utilizados no cálculo menores que os imóveis da Zona 2 ou da Zona 1, que estão em sua maioria na região central da cidade. Dentro de cada zona, existem diferenciações de acordo com o padrão e tipo de imóvel.

 

Faixa de IPTU Quantidade Percentual Reajuste médio
Não pagantes 1.031.017 39,38%  
R$ 0 - R$ 200 173.000 6,61% -3,92%
R$ 200 - R$ 600 390.248 14,9% 9,12%
R$ 600 - R$ 1 mil 268.094 10,24% 18,27%
R$ 1 mil - R$ 2 mil 348.039 13,29% 26,44%
Acima de R$ 2 mil 407.997 15,58% 26,73%
Total 2.618.395 100% 17,57%

 

Terra Terra