0

Rio lança marca dos Jogos Paraolímpicos de 2016 com festa

26 nov 2011
21h20
atualizado às 22h38
Mônica Garcia
Direto do Rio de Janeiro

A marca dos Jogos Paraolímpicos de 2016 foi lançada, na noite deste sábado, no Rio de Janeiro, juntamente com a inauguração da árvore de Natal da Lagoa Rodrigo de Freitas.

Minutos antes da inauguração da árvore, em meio ao palco da festa, surgiu a escultura-logo dos Jogos Paraolímpicos. A escultura, que mede 4 metros de altura, segue o mesmo esquema da marca dos Jogos Olímpicos Rio 2016, escultural e em 3D, mas com um diferencial: ela é multissensorial, para que todos possam interagir com ela.

Para Fred Gelli, um dos criadores da marca e diretor da agência Tátil, a mensagem da marca é de que por dentro todos somos iguais. "Para que pudéssemos materializar a alma, usamos símbolos universais que aproximassem as pessoas: o espiral simboliza a superação, o infinito representa a energia traduzida na garra, e o coração é o centro vital de todo ser humano. Olhando de cima, você enxerga um coração em forma de espiral e infinito. É um coração que pulsa e vibra com cada atleta e com cada conquista", afirmou Gilles.

O processo de escolha e criação da marca, que durou em torno de dez meses, foi escolhido por unanimidade por 12 jurados (representantes do governo e do Comitê Paraolímpico Internacional, além de especialistas em design olímpico). Durante a criação, somente pessoas autorizadas podiam entrar em uma sala fechada e com acesso por leitura digital.

De acordo com o diretor geral do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, Leonardo Gryner, nem ele e nem o presidente do Comitê Organizador dos Jogos, Carlos Arthur Nuzman, tinham acesso à sala de criação.

"Foi um processo coletivo, onde paixão e transformação faziam parte do processo o tempo todo sob a ótica do esporte paraolímpico. Buscamos uma forma que traduzisse intuitivamente os valores do Movimento Paraolímpico - coragem, determinação, inspiração e igualdade - e ao mesmo tempo materializasse seu lema: espírito em movimento", disse.

O presidente do Comitê Paraolímpico Internacional, Sir Phillip Craven, disse que o símbolo em forma de coração é fantástico, porque simboliza amor e paz. "Ela pode simbolizar muitas coisas, mas, certamente, o que ela mais representa é o coração paraolímpico, o espírito paraolímpico. Ainda não tenho palavras para descrever o que essa escultura significa", maravilhou-se.

Também presente no evento, a velocista paraolímpica, Adria dos Santos, deficiente visual, contou que foi uma grande emoção tocar e sentir a escultura. "Quando coloquei a mão na escultura é como se passasse um filme da minha vida e da minha carreira na minha cabeça. Fui às lágrimas. Mexeu demais comigo ouvir o som da torcida e do coração pulsando. Até agora estou emocionada", afirmou. Além de Adria dos Santos, os nadadores Daniel Dias e Clodoaldo Silva, estiveram presentes no lançamento da marca.

Na apresentação, o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, ainda afirmou que a partir de agora a entidade vai mudar a forma como nomeia a modalidade, adotando o termo "Paralímpico" ao invés de "Paraolímpico", seguindo um alinhamento mundial.

"O Brasil é o único país de língua portuguesa que ainda adota o termo "paraolímpico". E houve uma orientação do Comitê Paraolímpico Internacional (IPC) para que o Brasil se alinhasse mundialmente aos demais países", explicou Nuzman.

Apresentação ocorreu durante o lançamento da árvore de Natal da Lagoa Rodrigo de Freitas
Apresentação ocorreu durante o lançamento da árvore de Natal da Lagoa Rodrigo de Freitas
Foto: AP
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade