PUBLICIDADE

Deficientes representam 24% da população do Brasil, diz IBGE

21 nov 2011 - 20h48
(atualizado em 22/11/2011 às 16h08)
Publicidade
Marina Pita
Direto de São Paulo

Os dados do Censo de 2010 mostram um aumento de dez pontos percentuais na quantidade relativa de pessoas com deficiência em relação ao total da população população brasileira em dez anos. Em 2000, as pessoas com deficiência correspondiam a 14%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dez anos depois, o porcentual é de 24%, equivalente a 45,6 milhões de pessoas, ou cerca de um quarto dos brasileiros.

O dado, no entanto, pode provocar uma interpretação equivocada da realidade. Segundo especialistas o aumento no número de pessoas que se declara com deficiência não necessariamente significa um aumento deste grupo populacional. Uma das hipóteses levantadas pela Secretária Estadual dos Direitos das Pessoas com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, é que os números estejam refletindo uma mudança comportamental impulsionada pelos avanços sociais.

"No momento em que o cidadão vê que seus direitos começam a ser respeitados, pode assumir com mais dignidade a sua condição. Assim, talvez muitas pessoas que no Censo anterior tenham deixado de declarar a deficiência, passaram agora a fazê-lo", afirmou.

Outro fator que pode ter implicado no aumento do número de pessoas com deficiência registradas no Censo é a mudança no padrão de levantamento deste dado. Conforme nota da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, o IBGE alterou o método de coleta deste dado, tendo como base uma série de estudos e testes em parceria com entidades internacionais.

Ao responderem o questionário, os entrevistados informaram se cada morador do domicílio tem dificuldade permanente de enxergar, de ouvir e de caminhar ou subir degraus, bem como o grau de dificuldade em cada item.

"O conceito influi no percentual de pessoas com encontradas na população. Como nós utilizamos o conceito de limitação de atividades, o nosso número é maior do o encontrado em alguns países. Se pegássemos somente nível máximo de severidade, teríamos um percentual menor de pessoas com deficiência", explica Alicia Bercovich, coordenadora do Comitê do Censo Demográfico do IBGE.

Fonte: Especial para Terra
Publicidade