2 eventos ao vivo

Tentativas de fraude contra consumidor batem recorde em 2012

14 jan 2013
07h59
atualizado em 19/8/2013 às 14h03

A Serasa Experian registrou 2,14 milhões de tentativas de fraudes contra o consumidor em 2012, maior número desde 2010, quando a começou a medição, informou a empresa de análise de crédito nesta segunda-feira. Segundo a empresa, o resultado do ano passado mostra que a cada 14,8 segundos um consumidor brasileiro foi vítima de tentativade roubo de identidade, em que criminosos usam dados pessoais de outras pessoas para aplicarem golpes na emissão de cartões de crédito, abertura de contas correntes e compra de bens.

Em 2011, a Serasa detectou 1,96 milhão de tentativas de fraude e em 2010 foram 1,87 milhão. O setor de telefonia assumiu a liderança em 2012 com 749.213 casos de tentativas de fraude, 35 por cento dos registros, enquanto o de serviços, que lideravam antes, fecharam o ano com 746.318 casos.

Houve queda nas tentativas de fraude nos bancos, para 18 por cento em 2012 ante 26% em 2011, "por conta da retração na procura por crédito e crescimento em telefonia e serviços". "É comum as pessoas fornecerem seus dados pessoais em cadastros na Internet sem verificar a idoneidade e a segurança dos sites", afirmou a Serasa em comunicado, acrescentando que "a popularização da Internet e das mídias sociais é apontada como um fator impulsionador desse tipo de ação criminosa".

Segundo a empresa, os golpistas costumam comprar telefone para ter um endereço e comprovar residência, por meio de correspondência. A parti daí abrem contas em bancos para terem talões de cheque, cartões de crédito e acesso a empréstimos em nome de outras pessoas.

"Estão mais suscetíveis às fraudes os consumidores que tiveram seus documentos roubados. Com apenas uma carteira de identidade ou um CPF nas mãos de golpistas, dobra a probabilidade de ser vítima de uma fraude."

Confira as principais tentativas de golpe apontadas pelo indicador:
1 - Emissão de cartões de crédito
2 - Financiamento de eletrônicos
3- Compra de celulares com documentos falsos ou roubados
4- Abertura de conta com documentos falsos
5 - Compra de automóveis com identificação roubada

Fonte: Reuters News
publicidade