Economia

publicidade
16 de março de 2012 • 12h42

Samsung retira-se da sociedade do Estaleiro Atlântico Sul

A Samsung Heavy Industries vendeu sua participação minoritária no Estaleiro Atlântico Sul para suas sócias, a Camargo Corrêa Naval e Queiroz Galvão Participações. Com 6% da participação societária, a Samsung era a sócia com fundamento tecnológico. O estaleiro com capacidade para processar 160 mil t de aço por ano passa a ter dois sócios.

A nota divulgada nesta quinta-feira pela Camargo Corrêa Naval e Queiroz Galvão Participações é direta. "Alinhados com o programa brasileiro de retomada da indústria naval, os sócios do Estaleiro Atlântico Sul (EAS), Camargo Corrêa e Queiroz Galvão, decidiram exeercer a opção de preferência para adquirir os 6% das ações em poder da Samsung. Após a conclusão do processo, cada sócio passará a deter 50% do empreendimento."

O Estaleiro Atlântico Sul é considerado um marco no chamado ressurgimento da indústria naval brasileira, estimulada pelo Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef). O Estaleiro Atlântico Sul foi construído em Suape, Pernambuco, ao mesmo tempo em que construiu o primeiro petroleiro desse novo tempo, o João Cândido. A cerimônia de batimento de quilha, em maio de 2011, foi um evento de grande porte com a presença do então presidente Lula e sua ex-ministra e pré-candidata Dilma Rousseff e grande comitiva. O João Cândido foi a estrela, mas depois da festa voltou para ajustes.

A demora em entregar o petroleiro padrão suemax (o tamanho máximo de embarcação permitida no Estreito de Suez, no Egito) foi motivo de reuniões e especulações em torno do Estaleiro Atlântico Sul. A presidente da Petrobras, Graça Foster, manteve encontro no final de fevereiro para tratar dos projetos em desenvolvimento pelo estaleiro. A Petrobras confirmou a reunião em nota, sem tecer detalhes da pauta.

A expectativa do mercado no entorno de Suape era de que a Samsung Heavy Industries, com tradição na construção de grandes embarcações na Coreia do Sul, assumisse o controle acionário do estaleiro. Isso era praticamente dado como certo por sinais externos, como a procura por moradia ea reserva, na Escola Americana do Recife, de 50 vagas.

O grande ativo Estaleiro Atlântico Sul é sua carteira de pedidos vencidos em licitação da Petrobras, estimada em R$ 7 bilhões. Ele vai construir 22 navios petroleiros, além de sete sondas de perfuração. A única encomenda entregue foi o casco da plataforma P-55.

O estaleiro representa um investimento de R$ 1,8 bilhão, com algumas histórias edificantes e curiosas. Entre os 11 mil funcionários que chegou a manter contratados, parte foi capacitada entre ex-canavieiros da região, parte são flumineneses que tinham experiência na antiga indústria naval do Rio, parte são dekasséguis, que deixaram o Japão em momento econômico menos promissor que o brasileiro. Atualmente, emprega 5 mil trabalhadores.

Especial para o Terra