4 eventos ao vivo

Outplacement humaniza demissões: veja como aplicá-lo na sua empresa

4 nov 2015
17h25
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O chefe chama o funcionário para uma conversa em particular e o clima na empresa fica tenso. Depois de alguns minutos, começa o escândalo. Se você já passou por algum processo de demissão sabe o quão problemático ele pode ser, seja qual for o lado da mesa. Criado para amenizar esse momento, o serviço de outplacement promete tornar menos traumático o desligamento de um colaborador.

“Outplacement é como chamamos a prática organizacional que conduz com humanização os processos de demissões de uma companhia”, explica o presidente da Sociedade Brasileira de Coaching, Villela da Matta. “É uma ferramenta que teve o seu início nos Estados Unidos nos anos 60 e que começou a ser praticada no Brasil em meados dos anos 80”, completa.

Frustrações ocasionadas pelas demissões são o principal problema que a técnica de outplacement promete solucionar. Foto: iStock, Getty Images
Frustrações ocasionadas pelas demissões são o principal problema que a técnica de outplacement promete solucionar. Foto: iStock, Getty Images
Foto: Destino Negócio

Frustrações ocasionadas pelas demissões são o principal problema que a técnica de outplacement promete solucionar. Foto: iStock, Getty Images

Demissões podem gerar traumas

Você certamente conhece alguma pessoa que foi demitida e teve dificuldades para superar o ocorrido. Da Matta explica que isso acontece porque boa parte das pessoas conecta seus objetivos, propósitos e senso de identidade e de realização ao trabalho. “A demissão pode ser um dos eventos mais traumáticos na vida de um ser humano”, garante.

Para ilustrar essa afirmação, ele apresenta dados de uma pesquisa do instituto americano Pew Research Center, que revelou alguns detalhes sobre a situação de pessoas desempregadas:

  • 44% afirmam que o desemprego produziu mudanças significativas em suas vidas
  • 43% perderam contato com os amigos
  • 38% dizem que o autorrespeito diminuiu.

São motivos suficientes para que as empresas adotem um novo processo de demissão, melhorando a gestão de pessoas. “As empresas são feitas por pessoas e elas devem ser tratadas com dignidade e respeito acima de tudo”, pondera o especialista.

Outplacement traz vantagens para empresa e funcionário

Para amenizar os possíveis traumas relacionados à demissão, o outplacement reúne um conjunto de práticas que pretendem melhorar as perspectivas de futuro do profissional desligado. Entre as principais vantagens da técnica para o ex-funcionário, da Matta enumera:

  • Recuperar a autoestima e a motivação
  • Redefinir os objetivos
  • Recriar a visão de futuro
  • Aumentar as chances de retornar ao mercado de trabalho.

Mas o ex-funcionário não é o único que sai ganhando. “Tanto a empresa quanto o colaborador se beneficiam: o profissional desligado recebe uma orientação especializada para conseguir uma recolocação profissional no mercado e a empresa cumpre com sua parte social, dando o total apoio para quem foi demitido, o que fortalece a sua reputação no mercado”, explica da Matta.

E a prática é recomendada a qualquer empresa, independentemente do seu porte. Das micro, pequenas e médias empresas às multinacionais, todas as companhias podem colher vantagens com essa estratégia.

Como aplicar o outplacement na sua empresa

De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Coaching, a melhor forma de conduzir um processo de outplacement é recorrer a coachs especializados, que tenham experiência comprovada no assunto.  Outra alternativa é firmar parcerias com empresas do segmento, sejam elas de coaching ou de recursos humanos.

Mas não é obrigatório recorrer aos profissionais para aplicar a técnica. Com algumas horas de capacitação e os ferramentas certas, é possível treinar alguns colaboradores do setor de recursos humanos para melhorar a gestão de pessoas. Basicamente, segundo da Matta, a estratégia consiste nos seguintes passos:

Trabalhar a autoestima

O primeiro passo é melhorar a autoestima do profissional, que certamente foi afetada pela perda do emprego. Algumas dicas são relacionar a demissão a fatores externos, que não estejam diretamente relacionados ao desempenho do colaborador.

Identificar objetivos

Nessa etapa, é necessário delimitar os objetivos do profissional, para que ele tenha a clareza sobre suas ambições.

Analisar os pontos fortes

Quais os pontos fortes do funcionário desligado, e como vendê-los ao mercado? Vale lembrar que essa análise também ajuda a fortalecer a autoestima.

Pesquisar oportunidades

Ajude o colaborar a encontrar oportunidades para recolocação no mercado de trabalho, seja por meio do networking ou de uma pesquisa nas publicações especializadas.

Garantir a atualização profissional

Por fim, da Matta afirma que a atualização é um passo fundamental para a recolocação no mercado de trabalho. “O profissional deve ser incentivado a acompanhar as notícias na imprensa e a manter-se em dia com as novidades e tendências de sua profissão”, orienta.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e contribua com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar esse artigo com seus seguidores nas redes sociais.

Publicado em Outplacement humaniza demissões: veja como aplicá-lo na sua empresa por Destino Negócio.

Veja também:

Bolsonaro fala em 'cartão vermelho' para quem sugere congelar aposentadorias e enterra Renda Brasil
Destino Negócio
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade