0

Bola da Copa vem da China e do Paquistão

27 dez 2013
07h25
  • separator
  • 0
  • comentários

A Brazuca, bola oficial da Copa do Mundo de 2014, viaja um longo trajeto para chegar ao Brasil. À venda por R$ 399 nas lojas, a bola oficial, utilizada nas partidas e fabricada pela Adidas, é produzida na China. Já a versão Glider, com costuras à maquina e não submetida aos testes da FIFA (Federação Internacional de Futebol), é mais acessível: custa R$ 79,90 e vem do Paquistão.

Os dois países são os principais exportadores de bolas infláveis para o Brasil. Neste ano, o Brasil já importou quase 90 milhões de unidades, ou US$ 30 milhões (R$ 70,5 milhões), número próximo ao dos últimos três anos e quase o dobro do registrado em 2009. Das bolas que chegaram ao Brasil em 2013, 93% vêm da China, um recorde. Até novembro, US$ 16,5 milhões (R$ 38,4 milhões) em bolas foram importados dos chineses pelo Brasil. O mercado é, com sobras, o principal importador para os brasileiros há algum tempo. 

Em segundo lugar está o Paquistão, que neste ano exportou 2,1% das bolas que chegaram ao país, movimentando US$ 6,5 milhões - equivalente a R$ 15,1 milhões. A participação do Paquistão nas importações brasileiras do produto está caindo, enquanto a chinesa cresce. Também exportam para o Brasil Taiwan, responsável por 0,6% das chegadas deste ano, e Tailândia (0,1%).

De acordo com dados da Organização das Nações Unidas, mais de US$ 1,2 bilhão foram movimentados em exportações de bolas em 2012. O índice acompanha os resultados dos anos anteriores, apontando para um mercado estável ultimamente, mas que comparado com dez anos antes, triplicou. China, Paquistão, Tailândia, Alemanha e Bélgica são os líderes em exportação no setor. Juntos, eles respondem por 82% do total mundial, tendo a China movimentado a maior parte – US$ 665 milhões. Os chineses cada vez mais dominam o mercado. Enquanto em 2002 respondiam por 31% das exportações, no ano passado exportaram 53% das bolas de futebol.
 
As principais líderes do mercado, Nike, Adidas e Puma, muitas vezes trazem da Ásia o produto. As duas primeiras, por exemplo, estão entre as maiores compradoras de bolas de futebol vindas de países com custo de produção mais barato, como China, Paquistão e Tailândia. 

Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade