publicidade
31 de dezembro de 2012 • 10h21

O que não se deve fazer na hora de vender um imóvel

A demora na venda de um imóvel pode ser influenciada por fatores que não têm relação com o bem, mas com a atitude do proprietário
Foto: Shutterstock
 

Muitas vezes não é fácil identificar os motivos que retardam a venda de um imóvel. O que é unânime entre profissionais da área é que certas atitudes do proprietário podem dificultar ou comprometer o negócio. Leia abaixo as dicas de José Augusto Viana Neto, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci-SP), e de Edécio Cordeiro, vice-presidente do Creci-RJ, para ajudar a comercializar sua casa ou seu apartamento.



Placas de imobiliárias

Achar que vai atrair um comprador mais rapidamente se deixar o imóvel na mão de diversas imobiliárias, amontoando placas de "vende-se" na fachada, é um dos maiores erros dos proprietários, diz Cordeiro.



A falta de exclusividade traz a falta de compromisso por parte do corretor: "No Rio tentamos coibir essa atitude com fiscalização". Para ter um serviço bom para ambos os lados, o ideal, segundo o Creci-RJ, é deixar a responsabilidade da venda apenas com uma imobiliária, que em tese assim se dedicará mais.



Um grande número de placas pode sugerir que o proprietário está desesperado para passar o imóvel para frente - um sinal de que há algum problema de que o dono quer se livrar.



Apresentação do imóvel

Determinar um horário para receber interessados pode evitar saias justas, sobretudo quando o proprietário ainda mora no imóvel.



"Proprietários e inquilinos devem evitar cozinhar comidas que deixem o ambiente com cheiro forte, devem deixar o imóvel arrumado e os cômodos livres para visitação. Às vezes acontece de ter filho adolescente dormindo no quarto, atrasando a visita", afirma Viana.



Normalmente o corretor dá dicas, mas o bom senso tem que prevalecer.



A escolha do corretor

Buscar corretores competentes é um dos pontos essenciais para fazer uma boa venda, segundo Cordeiro. "Vale consultar a inscrição do profissional no Creci da região e verificar há quantos anos ele atua no mercado".



Cordeiro diz que a consulta ao Creci pode ser feita por telefone.



Preços altos

Muitos proprietários acham que o imóvel dele vale mais do que realmente vale. É fundamental levar em conta a avaliação do corretor. "Não adianta pedir o quanto acha que vale. O imóvel tem um valor de mercado que segue fatores como bairro, idade e incidência solar. Se pedir o quanto quiser, provavelmente não vai vender", avisa o vice-presidente do Creci-RJ.



Tentar vender sozinho

Dispensar um corretor ou uma imobiliária pode parecer uma saída fácil e econômica à primeira vista. Isso exige, porém, conhecimento dos trâmites legais que envolvem o negócio.



"É uma bobagem e pode até gerar prejuízo", afirma Cordeiro. Um vendedor inexperiente pode liberar o imóvel assim que a outra parte der um sinal, mas pode acontecer de o financiamento não sair. Aí é mais difícil desocupar a casa ou o apartamento.



Outro erro comum é transferir a escritura definitiva com cheques pré-datados em mãos como garantia de pagamento. Se forem cheques sem fundo, "reaver o imóvel pode demorar pelo menos cindo anos", segundo Cordeiro. "Não vale o risco."

PrimaPagina