Economia

publicidade
17 de janeiro de 2013 • 16h47

Mulher perde cruzeiro no Caribe por culpa de aérea e ganha R$ 10 mil

 

Uma mulher que perdeu um cruzeiro marítimo no Caribe por não chegar a tempo, devido a um atraso da companhia United Airlines, receberá da empresa aérea uma indenização de R$ 10 mil, segundo informações da Justiça do Rio Grande do Sul. O valor inicial da indenização era de R$ 5 mil, mas foi elevado.

De acordo com a Justiça, a autora da ação iria comemorar o Ano-Novo com o namorado um cruzeiro marítimo no Caribe e comprou passagens para o trajeto Porto Alegre/Rio de Janeiro/Houston/Baltimore, onde encontraria com seu namorado. Contudo, quando chegou ao Rio de Janeiro ficou três horas aguardando dentro do avião, o que a fez perder a conexão até Baltimore.

Segundo o processo, a passageira procurou os funcionários da empresa, que a orientaram a procurar o serviço do consumidor. A mulher ainda alega que tentou três vezes o embarque e não conseguiu, sendo que a empresa não tentou realocar a passageira em aeronaves de outras companhias. Além disso, a mulher afirmou que teve que se deslocar até o aeroporto de Chicago, onde a companhia a informou que ela receberia as bagagens em um prazo de cinco dias, porém ela recebeu seus pertences dois dias após a chegada ao local.

A Justiça concluiu que os prejuízos da passageira decorreram da negligência da empresa aérea, que não prestou os serviços conforme os moldes contratados. Ainda afirmou que, tendo ocorrido o problema na aeronave, era exigível que a empresa providenciasse um avião substituto para corrigir o atraso.

A empresa entrou com recurso, alegando que colocou o nome da passageira em uma lista de espera para que ela pudesse embarcar no caso de alguma desistência. Além disso, a empresa alegou que diversos outros fatores podem afetar a pontualidade de uma operação aeronáutica, além dos problemas mecânicos. Contudo, a Justiça não aceitou a apelação e condenou ao pagamento de indenização de R$ 10 mil. Ainda cabe recuro da decisão na Justiça.

O Terra tentou contato telefônico com representantes da companhia no Brasil, mas não conseguiu localizá-los.

Terra