0

Módulos fotovoltaicos sob medida serão produzidos no país

29 nov 2012
08h25

A fabricação de módulos fotovoltaicos (usados para a produção de energia) customizados deve começar no Brasil a partir do ano que vem, fruto de uma iniciativa do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI), braço do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, em Campinas (SP). Um dos objetivos é atender o mercado de módulos integrados à edificação. Nestas aplicações, eles podem ser usados para substituir telhas, vidros, fachadas e brises. Segundo o coordenador do projeto, Homero Schneider, o produto passa a ser um material multifuncional. "Além de produzir energia elétrica, cumpre uma função na construção", afirma.

A iniciativa é do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer, em Campinas (SP). Um dos objetivos é atender o setor da construção civil
A iniciativa é do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer, em Campinas (SP). Um dos objetivos é atender o setor da construção civil
Foto: Divulgação



O principal diferencial desseso s módulos sob medida é o apelo estético, pois as células podem ser dispostas de maneira a formar padrões específicos. A desvantagem é que são mais caros e menos eficientes do ponto de vista energético. "Em geral, este mercado é pequeno em comparação com o dos módulos padrões", diz. É mais significativo em países onde existe uma legislação específica, como na França, por exemplo, na qual 50% da demanda é atendida por este tipo de módulo.



A unidade produtora do CTI está sendo financiada pela Financiadora de Estudos e Projetos ( Finep), e deve começar a operar no primeiro semestre de 2013, com capacidade para produzir até 600 KW em módulos por ano. Além de atender encomendas de clientes da construção civil e arquitetos, a planta será dedicada a pesquisas de materiais e processos na área de energia solar.



A energia fotovoltaica no Brasil ainda é incipiente, mas o potencial é promissor. Neste ano, a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) criou uma regulamentação que permite às empresas e residências gerar sua própria energia. As distribuidoras têm até o final deste ano para se adequar e publicar as normas técnicas relacionadas ao novo sistema.



Até o momento, o mercado de módulos fotovoltaicos conta apenas com opções "de prateleira", produzidas em larga escala, mase Schneider acredita que, assim como acontece em outros países, o setor terá um crescimento significativo.



Economídia
Especial para o Terra
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade