0

Ministro saudita fala sobre oferta de petróleo e preços caem

MERCADOS - Matérias Primas

20 mar 2012
10h56
  • separator

A Arábia Saudita, principal exportador mundial de petróleo, procurou acalmar os temores sobre os preços elevados da commodity nesta terça-feira, com seu ministro dizendo que a oferta mundial está acima da demanda e que os preços de US$ 125 por barril do Brent não se justificam, dado o estado anêmico da economia mundial.

O ministro do Petróleo saudita, Ali al-Naimi, disse que o país vem cumprindo todas as solicitações dos seus clientes e que estava pronto para elevar a produção à plena capacidade, de 12,5 milhões de barris por dia (bpd), se necessário.

"Quero assegurar que não há escassez de oferta no mercado", disse Naimi a jornalistas em coletiva de imprensa em Doha, no Catar. "Estamos prontos e dispostos a colocar mais petróleo no mercado, mas é preciso comprador."

Os futuros do petróleo caíam mais de 1% nesta terça-feira, diante da fala do saudita. O Brent era negociado perto de US$ 124 o barril, enquanto o petróleo nos EUA perdia 1,73%, por volta das 13h30 (horário de Brasília).

O petróleo está apenas cerca de US$ 25 abaixo da maior alta de todos os tempos, por conta das sanções mais rígidas do Ocidente sobre o Irã ameaçando desacelerar as exportações do país. "Os preços do petróleo hoje são injustificáveis em uma base de oferta e demanda", disse Naimi. "Realmente não entendo por que os preços estão se comportando deste jeito."

Ele disse que a oferta de petróleo superava agora a demanda em mais de 1 milhão de barris por dia, e que os clientes não estavam pedindo compras extras de petróleo. "Do nosso ponto de vista, não tivemos nenhum cliente insatisfeito. Nós estamos atendento a todos os pedidos de cada cliente", disse Naimi. "Perguntamos aos clientes: 'Você precisa de mais?', e, invariavelmente, a resposta é: 'não, obrigado'."

Veja também:

BC corta Selic para 3% ao ano
Fonte: Reuters News
publicidade