3 eventos ao vivo

Mercosul deve fazer avanços econômicos com conquistas sociais

23 nov 2012
17h57

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, ressaltou nesta sexta-feira, em Salvador, que o Mercosul tem dimensões que vão além do comércio, da economia e da integração regional. Patriota disse que o empenho do grupo é trabalhar para o crescimento econômico associado à inclusão social e ao desenvolvimento sustentável. O chanceler lembrou que o bloco tem respondido de forma dinâmica em um momento em que o mundo vive ainda sob os impactos da crise econômica internacional.

"O Mercosulé um agrupamento que está liderando um grande dinamismo e capacidade de responder à crise (econômica internacional). E o mercado que nós constituímos é fundamental para o nosso comércio e economia. O ingresso da Venezuela fortalece o grupo", disse Patriota. "O Mercosul tem um valor inestimável neste momento em que o mundo passa por mudanças", completou.

O ministrou destacou ainda a importância do crescimento econômico sustentável do continente para o seu futuro no cenário mundial. "A nossa expectativa é que a América do Sul cresça com justiça social, democracia, sem conflitos, uma zona de paz, sem armas de destruição em massa, e tenha condições de se afirmar cada vez mais no cenário internacional".

Patriota anunciou que, em dezembro, quando o Brasil transmite a presidência temporária do bloco para o Uruguai, haverá uma cúpula empresarial, a primeira do Mercosul. O chanceler reiterou que o ingresso da Venezuela no bloco, em julho, abre espaços para a entrada de outros países da região.

Com o ingresso da Venezuela, o bloco passou a ter o equivalente a 70% da população da América do Sul, 83,2% do produto interno bruto (PIB) sul-americano e 72% de área territorial do continente. O ministro citou que os governos do Equador, da Bolívia e do Suriname indicaram interesse em fazer parte do Mercosul.

Segundo o ministro, é necessário "encarar de frente" a necessidade de promover meios para a integração tecnológica criando mais condições para que os produtos do Mercosul sejam competitivos. Pelos dados do governo, o bloco, criado em 1991, promoveu o aumento do intercâmbio comercial da região.

Em 1990, o comércio entre os membros do bloco era da ordem de US$ 4,1 bilhões. Em 2011, o fluxo cambial atingiu US$ 104,9 bilhões. Com a participação da Venezuela no bloco, serão 270 milhões de habitantes, registrando um PIB a preços correntes de US$ 3,3 trilhões em um território de 12,7 milhões de quilômetros quadrados.

Patriota participou do seminário Mercosul: Novas Perspectivas, ao lado do governador da Bahia, Jaques Wagner, e de embaixadores brasileiros e estrangeiros, além de autoridades do Brasil, da Argentina e Venezuela. O chanceler disse que o interesse do Mercosul é ampliar acordos também fora do bloco e destacou os avanços nas negociações com os Estados Unidos, a União Europeia (UE) e a China.

Fonte: Agência Brasil
publicidade