Mark London destaca importância do povo da Amazônia

atualizado às 18h43
  • separator
  •  
  • comentários
Cláudia Andrade
Direto de Manaus

O consultor, escritor e jornalista norte-americano Mark London destacou nesta sexta-feira, durante o Fórum Internacional de Sustentabilidade, em Manaus, que as pessoas do mundo todo devem se preocupar com o povo da Amazônia, mas que as soluções para a região precisam ser tomadas pelo Brasil.

Em uma breve apresentação sobre o tema "Estratégias de conservação na Amazônia e consequências para o país do desmatamento", London, que se diz "um amigo da Amazônia", ressaltou que qualquer planejamento para a região deve levar em conta as pessoas que moram na região. "Isso aqui é a casa deles".

London é um dos participantes do Fórum que vai discutir, até amanhã, a sustentabilidade econômica, ambiental e social para a Amazônia. O evento reúne cerca de 300 líderes empresariais no debate sobre o tema.

"Se você realmente se preocupa com a Amazônia, morando em São Paulo, Londres, Paris, Washington, em qualquer lugar, tem que se preocupar com as pessoas que vivem aqui", defendeu o consultor, citando como exemplo da população amazônica o seringueiro Chico Mendes, que se tornou ativista e defensor da floresta e foi assassinado.

Conhecedor da região, London destacou que há uma consciência de que o Brasil não deve sofrer ingerências nas questões relativas à floresta. "Washington não precisa ditar o que vai acontecer, isso aqui é o Brasil, é terra brasileira, e a solução tem que ser brasileira", disse, arrancando aplausos da plateia.

O autor do livro "A Última Floresta - A Amazônia na Era da Globalização" também falou sobre a cultura de soja e a criação de gado na região. Ele reconheceu que é um grande desafio encontrar o equilíbrio entre essas duas atividades rentáveis e a natureza.

London também parabenizou o modelo de Manaus, com a Zona Franca garantindo o desenvolvimento da área urbana. "Em minha opinião, a Zona Franca é uma das melhores iniciativas ambientais jamais criadas. A intenção não foi ser uma iniciativa ambiental, mas se a vida das pessoas melhorou, o ambiente melhorou".

Mark London diz que decisões sobre Amazônia devem ser tomadas pelo povo da região
Mark London diz que decisões sobre Amazônia devem ser tomadas pelo povo da região
Foto: Gustavo Scatena / Especial para Terra
Terra

compartilhe

publicidade
publicidade