0

Juros: DIs fecham mistos, atentos a dados antes de Copom

13 out 2011
16h23

<br/><br />O mercado de juro futuro teve um dia sem tendência comum e com alguma volatilidade nesta quinta-feira pós-feriado, reagindo a dados internos, a pouco tempo da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) para decidir a taxa básica de juros (Selic). Às 16h20, os contratos DI de janeiro de 2013 projetavam 10,45%, ante 10,46% no ajuste da terça-feira.<br /><br /><br />O DI janeiro de 2014 estava em 10,73%, ante 10,70%. O DI janeiro de 2012 mostrava 11,185%, comparado a 11,191%. Os contratos abriram em queda, subiram e depois encerram sem tendência comum a sessão.<br /><br /><br />"O mercado está com um comportamento em cima da reunião do Copom. O IBC-Br veio hoje com um dado abaixo do esperado, mostrando que o BC (Banco Central) acertou em cortar o juro, mas também temos a inflação que não está vencida", disse o gerente de renda fixa do Banco Banif, Eduardo Galasini. "Por isso os (juros) curtos estão tendendo mais para queda e os longos estão estáveis ou subindo", acrescentou ele.<br /><br /><b>Atividade fraca</b><br>O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado um sinalizador do comportamento do Produto Interno Bruto (PIB), caiu 0,53% em agosto sobre julho, de acordo com dados dessazonalizados divulgados pelo BC nesta quinta-feira.<br /><br /><br />"Foi a terceira variação dessazonalizada negativa desde maio, algo que não se observava desde o final de 2008... Não se pode descartar a possibilidade de uma pequena retração do PIB brasileiro no terceiro trimestre. Assim, a projeção de uma alta do PIB de 3,5% em 2011 parece otimista", informou a LCA Consultores, que projeta uma expansão da economia brasileira no ano de 3,1%, "mas com viés de baixa".<br /><br /><br />Em meio à desaceleração global, o BC reduziu a Selic em agosto em 0,50 ponto percentual, para 12% ao ano, tentando blindar a economia brasileira da crise externa. A autoridade monetária vem indicando que mais quedas ocorrerão.<br /><br /><br />O Copom reúne-se novamente na próxima semana. Pesquisa da <i>Reuters</i> mostrou que das 26 instituições financeiras consultadas, 22 projetam queda de 0,50 ponto percentual na Selic, levando-a a 11,50%; duas estimam corte de 1 ponto agora e duas apostam em 0,75 ponto de redução.<br /><br /><br />Para a última reunião deste ano, em 29 e 30 de novembro, 13 dos 14 economistas que forneceram previsão estimam mais um corte de 0,50 ponto, enquanto 1 projeta 0,75 ponto.<br />

Fonte: Invertia Invertia
publicidade