Crédito: Divulgação/ Mercedes-Benz

Pé na estrada
com seu caminhão

No Brasil, o transporte de mercadorias ainda
é prioritariamente rodoviário, o que faz com que
os caminhões sejam ferramenta fundamental
nesse vaivém de Norte a Sul do País. Para
ajudar quem vive na estrada, o Terra traz
dicas para o Seu Caminhão.

Para começar, mostra como optar entre
um caminhão zero quilômetro e um usado,
salientando o que observar para fazer boa
escolha. Depois, traremos 20 dicas
de segurança na estrada e as novidades
da Fenatran, o 19º Salão Internacional
do Transporte. Completando, abordamos
o tema caminhão e sofisticação
e apresentamos um guia de caminhões,
com principais modelos disponíveis
no mercado brasileiro.

Crédito: Divulgação/ Mercedes-Benz

Novo ou seminovo: faça a escolha certa

Investir em um caminhão melhor pode ser uma estratégia para aumentar a eficiência e a rentabilidade do trabalho feito com o veículo. Porém, é preciso avaliar bem as ofertas e as condições de vendas oferecidas pelo mercado para garantir a melhor relação custo-benefício. Além disso, para acertar na decisão entre um novo e um seminovo, é fundamental estar preparado para analisar diversas variáveis, que vai desde ter um caminhão sem necessidade de revisão inicial do zero quilômetro até a procedência do usado. "Não há uma opção melhor ou pior, o interessante é encontrar o produto que atenda às suas necessidades e respeite o seu orçamento", diz Paulo Arabian, gerente sênior de vendas de caminhões Merdedes-Benz.

A seguir, informações relevantes ajudam a tomar a decisão e a fechar um bom negócio.

Crédito: Divulgação/ Mercedes-Benz

Leve em conta o valor para investir

A escolha entre um caminhão zero ou usado dependerá do valor disponível para o investimento. Afinal, mesmo que as condições de financiamento sejam muito boas, é preciso ter certeza que a entrada e as prestações caberão no bolso. Além disso, é interessante analisar se o valor investido vai reverter em economia ou em lucros maiores. "Quando o assunto é caminhão, o foco deve ser o aumento da produtividade. Deve-se avaliar se a tecnologia aplicada vai permitir resultados melhores", diz Claudio Gasparetti, gerente de marketing de produto caminhões da Mercedes-Benz.
Crédito: Divulgação/ Mercedes-Benz

Avalie gastos extras do zero km

No momento de fazer as contas, para verificar se a compra de um novo ou seminovo respeita o seu orçamento, lembre-se de avaliar todos os custos que terá com o veículo, e não apenas o preço de venda. "A compra de equipamentos e adequação de carroceria e baú, por exemplo, podem somar cerca de R$ 20 mil", diz Claudemir Barrichello, da ¾ Caminhões, de Piracicaba (SP). E isso sem contar a compra de serviços. Na Selec Truck, loja da Mercedes-Benz instalada em Mauá, na Grande São Paulo, por exemplo, podem ser adquiridos com o caminhão sistema de telemática e gestão de frotas via Fleetboard, contratos de manutenção full e basic service, além do seguro.
Crédito: Shutterstock

À vista ou a prazo?

Além do preço, é preciso analisar a forma de pagamento antes de decidir pelo veículo zero quilômetro ou pelo usado. Este último é geralmente uma boa opção para quem tem o dinheiro na mão e vai comprar à vista. "As taxas para o financiamento de um caminhão novo correspondem a cerca de 1/3 das que são cobradas para a compra de um seminovo em prestações", afirma Barrichello.
Crédito: Divulgação/ Mercedes-Benz

Há incentivo governamental

Atualmente, o PSI (Programa de Sustentação do Investimento), do BNDES, disponibiliza taxa de juros de 4% ao ano para a compra de caminhões novos. "Se considerarmos a inflação oficial, que está em torno de 5%, estamos falando de uma taxa abaixo da inflação", diz Ricardo Alouche, vice-presidente de vendas, marketing e pós-vendas da MAN Latin America. A aquisição de um zero quilômetro, nessas condições, pode ser mais vantajosa.
Crédito: Divulgação/ Mercedes-Benz

Taxas de juros

O IPI zero, que vigora há mais de seis meses, também é um estímulo e tanto para a compra do caminhão novo. "Além da taxa de financiamento para um caminhão zero ser menor, o benefício de isenção do IPI torna a negociação ainda mais vantajosa", afirma Barrichello, da ¾.
Crédito: Shutterstock

Desvalorização menor no seminovo

A perda de valor de um veículo seminovo, em relação ao novo, é muito menor. Esse quesito deve ser avaliado com critério especialmente se houver a intenção de fazer uma nova troca em curto período de tempo. Nesse caso, ao optar pelo caminhão zero, pode-se perder uma soma considerável do valor investido.
Crédito: Divulgação/ Mercedes-Benz

Quilometragem

Na compra de um caminhão novo, não é preciso preocupar-se com o estado geral do veículo. Porém, no caso do usado, todo o cuidado é pouco. A quilometragem rodada deve ser um dos pontos considerados, principalmente se o veículo transporta cargas mais pesadas.
Crédito: Divulgação/ Mercedes-Benz

Verifique a procedência

Para adquirir um usado, a procedência é outro fator a ser avaliado com atenção. "Os novos já vêm com garantia. Porém, ao comprar um seminovo, o proprietário só terá alguma segurança se fizer a aquisição em uma loja. Mesmo assim, o prazo para reclamar de algum defeito do veículo e exigir o reparo será geralmente menor do que na concessionária", diz Barrichello. Na Selec Truck, loja da Mercedes-Benz, a garantia estendida de até 12 meses para seminovos é, sem dúvida, um grande diferencial.
Crédito: Divulgação/ Mercedes-Benz

Histórico
de revisões

Na compra de um seminovo, há sempre o risco de adquirir um veículo que precisará passar por algum tipo de manutenção, antes da utilização ou nos primeiros dias de estrada. Para evitar esse tipo de problema, dê preferência a caminhões que tiveram poucos proprietários, pois isso torna relativamente fácil a tarefa de rastrear e acompanhar o histórico de revisões e as trocas de peças que o caminhão sofreu até aquele momento. "Optar por um veículo que já sai de fábrica com um contrato de manutenção aumenta ainda mais a segurança de quem compra. Isso garante, por exemplo, que o caminhão passou por revisões periódicas e está operando com peças genuínas atualizadas", afirma Paulo Arabian, gerente sênior de vendas de caminhões Mercedes-Benz.
Crédito: Divulgação Mercedes-Benz

Vinte dicas garantem segurança na estrada

Manter-se atento ao volante, ser capaz de prever riscos e decidir de forma responsável diante de um imprevisto. Esse conjunto de atitudes possibilita diminuir consideravelmente os riscos de acidentes, que podem resultar em danos ao caminhão, à carga e, principalmente, às pessoas.

Na prática, seguir os procedimentos de direção defensiva não é tão difícil quanto parece. Com a ajuda de especialistas no assunto, selecionamos algumas orientações importantes e que, uma vez incorporadas à rotina, tornarão suas viagens muito mais tranquilas, garantindo proteção.
Crédito: Shutterstock

Desligue os eletrônicos

Alguns aparelhos eletrônicos são ótimas companhias nos momentos de descanso e lazer. Porém, enquanto se está volante, é importantíssimo mantê-los desligados. Assistir televisão enquanto dirige, por exemplo, é tão perigoso quanto falar ao celular - mesmo que seja no viva-voz. Isso porque, ao distrair-se, você deixa de prestar atenção em detalhes da estrada que podem indicar situações de risco. O rádio está liberado, desde que em volume baixo, para permitir que você ouça os sons do próprio caminhão e os produzidos pelos demais veículos.
Crédito: Divulgação Mercedes-Benz

Confira a carga e o veículo

Um dos cuidados mais importantes, para garantir a sua segurança na estrada, é verificar se o tipo de carga e o volume que vai carregar estão de acordo com o especificado para aquele tipo de caminhão. "Para cargas elevadas, em torno de 57 toneladas, por exemplo, é necessário utilizar veículos com tração em quatro pontos, que garantem mais estabilidade e um nível de aceleração mais controlado", afirma Paulo Arabian, gerente sênior de vendas de caminhões Mercedes-Benz.
Crédito: Shutterstock

Apague o cigarro

Você sabia que o simples fato de acender um cigarro com isqueiro à noite pode ser o suficiente para ofuscar a sua visão e impedi-lo de ver com nitidez por três ou quatro segundos? Isso acontece porque, com a claridade, as pupilas se contraem. E, até que elas voltem ao normal, um acidente fatal poderá ter ocorrido. Fumar de dia também é arriscado pois além de ocupar uma mão com o cigarro, você ainda corre o risco de se queimar. Só o susto de ver uma brasa de cigarro voando em sua direção pode desconcentrá-lo totalmente, fazendo-o descuidar-se da direção.
Crédito: Divulgação Mercedes-Benz

Aproveite o conforto do veículo

Sempre que possível, opte por caminhões que, além de funcionais, sejam capazes de garantir mais conforto nas suas viagens. "Alguns modelos possuem bancos ergonômicos e com suspensão a ar, outros continuam sendo refrigerados mesmo quando não estão ligados. Esses diferenciais reduzem o desgaste e a fadiga do motorista durante todo o percurso", diz Arabian.
Crédito: Shutterstock

Mantenha distância

Manter distância do veículo à frente é essencial para que se tenha tempo hábil de brecar ou fazer uma manobra repentina. E existe uma receita boa para saber se você está, de fato, respeitando essa regra. Basta escolher um ponto fixo na estrada e, quando o veículo à sua frente passar por ele, contar aproximadamente quatro segundos, enquanto pronuncia: 1001, 1002, 1003, 1004. Se o seu caminhão passar pelo ponto de referência antes que você termine a contagem, isso significa que deve afastar-se ainda um pouco mais.
Crédito: Shutterstock

Ajuste o encosto de cabeça

Antes de ligar o carro, cheque se o encosto de cabeça está devidamente ajustado para a sua altura. O acessório é essencial num momento de desaceleração brusca, quando o motorista pode ser lançado para frente e para trás com muita força. Nesse caso, o encosto vai dar o apoio necessário à cabeça, minimizando o risco de lesões na coluna cervical e no canal medular, complicações que podem levar à morte imediata ou então, à paralisia dos membros.
Crédito: Divulgação Mercedes-Benz

Sempre que possível, olhe para trás ao dar ré

Não dá para ignorar os pontos cegos na direção veicular. Ao fazer a manobra olhando só pelos retrovisores, você não tem noção de profundidade e pode não visualizar por completo pessoas ou animais em movimento. Quando a visão pelo vidro traseiro da cabine for possível, é mais seguro olhar para trás, por cima do ombro, conferir o cenário e só depois engatar a ré.
Crédito: Shutterstock

Coma bem, mas sem exagerar

Principalmente quando ainda tiver um longo trajeto à frente. O excesso de alimentos ou mesmo pequenas porções de comidas pesadas, como frituras ou carnes com gorduras, podem provocar mal estar durante a viagem, provocando distensão abdominal, acúmulo de gases e até sonolência. Por isso, sempre que possível, opte por carnes magras, legumes, verduras e frutas.
Crédito: Shutterstock

Faça intervalos regulares

Os especialistas recomendam que, a cada duas horas de direção, seja feita uma pausa de pelo menos 15 minutos. O intervalo não é para dormir, mas para sair do veículo, alongar as pernas e se distrair um pouco. Caso não seja possível fazer isso, tente ao menos seguir o que recomenda o Código de Trânsito Brasileiro, que fala em pausas de 30 minutos a cada quatro horas.
Crédito: Shutterstock

Reduza o combustível para levar muita carga

Se estiver se deslocando com a carga máxima que o caminhão suporta, não encha totalmente o tanque de combustível. O diesel eleva o peso do veículo e, em caso de acidente, pode aumentar a gravidade da ocorrência. Nesses casos, o ideal é encher apenas parte do tanque e parar no caminho para abastecer novamente, se necessário.
Crédito: Shutterstock

Inspecione o caminhão antes de sair

Cheque o óleo, a água do radiador, faróis e lanternas. Também é preciso ficar de olho na qualidade dos pneus e eixos do caminhão. Pneus em mau estado, desalinhados, desbalanceados e com calibragem irregular prejudicam a eficiência do freio, por falta de aderência ao chão.
Crédito: Shutterstock

Cuidado com medicamentos novos

Antes de uma viagem, procure não tomar medicamentos que não conheça e cujos efeitos ainda não tenha experimentado. Alguns remédios podem aumentar o sono, amolecer o corpo e até reduzir os seus reflexos. Caso precise de algum medicamento, o ideal é consultar o médico antes, para saber exatamente como o seu corpo poderá reagir.
Crédito: Shutterstock

Ande abaixo do limite de velocidade

A legislação estabelece velocidades máximas nas estradas, que devem ser respeitadas para evitar acidentes. No entanto, as condições da via, o clima e a carga transportada podem exigir mais cuidado e, nesses casos, o melhor é transitar abaixo do que é permitido. Assim, fica fácil garantir o controle do veículo, mesmo em situações adversas.
Crédito: Shutterstock

Nunca freie bruscamente

Quando perceber um obstáculo à sua frente, diminua a aceleração em vez de colocar o pé direto no freio. Só após o caminhão ter diminuído a velocidade, use o breque.
Crédito: Shutterstock

Não solte o caminhão nas descidas

Nos trechos em declive, mantenha o câmbio engatado, em marcha reduzida. Se o carro estiver desengrenado e acontecer um imprevisto, você não conseguirá frear, porque o motor não terá força para parar ou reduzir a velocidade.
Crédito: Shutterstock

Desvie de obstáculos com segurança

Ao perceber que há algo na pista que o impede de seguir adiante, não pare bruscamente, especialmente se houver outro veículo logo atrás do seu. O ideal é diminuir a velocidade e sinalizar o problema para os demais condutores, usando o pisca-alerta.
Crédito: Divulgação MAN Latin America

Faça revisões periódicas
no veículo

Realizar as manutenções necessárias, de acordo com a agenda estabelecida para o tipo de veículo, carga e rota em que você opera, é essencial para evitar que, no meio de uma viagem, um problema qualquer com as peças do caminhão provoque um acidente. Para se resguardar, ter um contrato de manutenção ajuda muito. "O objetivo desse contrato é assegurar a previsibilidade dos custos com a manutenção do veículo. Quem conta com o serviço da Rede de Concessionários da Mercedes-Benz tem cerca de 200 pontos de atendimento à sua disposição, em todos os estados do Brasil", afirma Paulo Arabian, gerente sênior de vendas de caminhões Mercedes-Benz.
Crédito: Shutterstock

Redobre a atenção em dias de chuva, neblina ou cerração

Ao dirigir nessas condições climáticas, acenda o farol baixo e aumente ainda mais a distância do veículo à frente. Nunca use o farol alto, que reflete a luz nas partículas de água, reduzindo ainda mais a visibilidade. Por conta do tempo, o chão também fica úmido, o que diminui a aderência dos pneus. Daí a importância de reduzir a velocidade. Caso sinta dificuldade de continuar dirigindo, pare em um local seguro, como um posto de abastecimento. Evite estacionar no acostamento.
Crédito: Shutterstock

Use o farol alto com moderação

É permitido usar o farol alto em vias sem iluminação pública, porém, é preciso cuidado para não prejudicar a visibilidade dos motoristas que transitam pelo outro lado da via. O melhor a fazer, ao avistar outro veículo, é baixar o facho imediatamente.
Crédito: Shutterstock

Álcool e drogas, nem pensar!

O uso de substâncias químicas pode até levar a uma euforia inicial, ajudando a espantar a sonolência. O problema é que esse efeito logo passa e aí o motorista poderá sentir um cansaço ainda maior, além de mal estar. E isso sem falar no efeito das drogas sobre a capacidade de responder prontamente aos estímulos, o que aumenta muito o risco de acidentes. Vale lembrar, ainda, que a Lei Seca proíbe dirigir alcoolizado ou sob o efeito de qualquer outra substância psicoativa. Se for pego em flagrante nessas condições, o motorista poderá ser penalizado com o pagamento de multa, suspensão do direito de dirigir e até com uma detenção.
Crédito: Hamilton Penna

Caminhões: salão internacional mostra avanços tecnológicos

Começou na segunda-feira (28) e vai até 1º de outubro, em São Paulo, o 19° Salão Internacional do Transporte (Fenatran). Um dos mais importantes do mundo nesse segmento, o evento é o maior da América do Sul e reúne os fabricantes mundiais de transporte pesado, empresas de acessórios e periféricos, além de prestadores de serviços e desenvolvedores de tecnologia para o transporte terrestre.
Crédito: Hamilton Penna

Lançamentos da Fenatran

Muitas novidades estão sendo apresentadas na Feira, que vai até o 1º de outubro, no Pavilhão de Exposições do Anhembi. Neste ano, mereceram destaque os lançamentos que visam melhorar a produtividade, por meio da tecnologia aplicada, com aumento da capacidade de carga e oferecendo mais conforto e segurança aos motoristas. O slogan da edição já dá uma dica do que esperar das páginas a seguir: Os avanços tecnológicos de um setor que nunca para. Confira!
Crédito: Hamilton Penna

Suspensão pneumática

Entre as novidades da Mercedes-Benz, o Axor 2544 aparece com suspensão pneumática e eixo sem redução de cubo. “São quatro bolsas de ar por eixo, resultando numa suspensão mais reforçada e num caminhão mais estável”, afirma Claudio Gasparetti, gerente de marketing de produto caminhões da Mercedes-Benz. “Dois itens bem importantes para o empresário do transporte, hoje em dia, são a redução do consumo de combustível e do custo de operação, além da valorização do motorista, que atualmente é mão de obra rara e especializada”, diz Gasparetti. Nos lançamentos da marca para este ano, o objetivo foi contemplar também esses pontos críticos, oferecendo soluções alinhadas à complexidade desse mercado.
Crédito: Hamilton Penna

Espaço e conforto

O modelo 2546, da linha Actros da Mercedes-Benz, trouxe para a feira o conceito de cabina lisa, sem ressaltos no assoalho. “A cabine é como a casa do motorista e ninguém gosta de ter um degrau no meio da casa”, diz Gasparetti. Além disso, a altura no interior é de 1,92m, oferecendo mais espaço e conforto para o motorista e para quem o acompanha.
Crédito: Hamilton Penna

Câmbio automatizado

O Actros 4160, da Mercedes-Benz, é o lançamento da marca para o transporte de cargas indivisíveis. São 600 cv de potência, além de sistema de refrigeração automática para o câmbio automatizado e motor com tecnologia BlueTec, que atende às especificações da norma Proconve P7, vigente desde 2012.
Crédito: Hamilton Penna

Linha leve

O Accelo 1016, representante da linha leve da Mercedes, é o primeiro da categoria a ganhar freios ABS. A linha também conta com a exclusiva tecnologia BlueTec, que reduz o nível de emissão de poluentes, melhora o desempenho do motor e ainda otimiza o consumo de combustível.
Crédito: Hamilton Penna

Câmbio em 12 velocidades

O Atego 2430, da Mercedes, com câmbio automatizado de 12 velocidades, ganhou mais torque, de 1120 Nm para 1250 Nm. “É o maior torque da categoria”, afirma Claudio Gasparetti, gerente de marketing de produto caminhões da Mercedes-Benz.
Crédito: Hamilton Penna

Transmissão automática

A linha Constellation foi o grande destaque no estande da MAN. Os modelos 19.420, 25.420 e 26.420 são equipados com motor Cummins de 420 cavalos e transmissão automatizada V-Tronic como item de série.
Crédito: Hamilton Penna

Potência

O TGX 29.480 tem previsão de lançamento para o segundo semestre de 2014. O modelo é um 6x4, ou seja, tem seis pontos de contato com o solo, sendo que quatro deles recebem a tração do motor. O veículo será o mais potente da linha MAN.
Crédito: Hamilton Penna

Adequado ao Brasil

O extrapesado Stralis Hi-way é a estrela no espaço da Iveco. O veículo acabou de ser eleito “Caminhão do Ano 2013”, na feira de Hannover, na Alemanha. “Foi muito importante trazer um caminhão que acabou de ganhar o prêmio e fazer o lançamento quase que simultaneamente no Brasil”, diz Christian Gonzalez, diretor de marketing da Iveco. “Esse caminhão rodou no Brasil mais de 2 milhões de quilômetros para se adequar às estradas brasileiras”, afirma. Os principais argumentos de venda do Hi-Way são a garantia e a economia de combustível. 
Crédito: Hamilton Penna

Econômico

Tector 15 Toneladas e Tector Stradale são os dois primeiros modelos que entram na geração Economy, da Iveco. Ambos têm motor que oferece economia de até 5% em relação à geração anterior, com ganhos na potência e no torque.
Crédito: Hamilton Penna

Urbanos

A linha de caminhões leves da Ford ganha o Cargo 1119, para aplicações urbanas ou rodoviárias de curta distância. Tem motor Cummins ISB 4.5 de quatro cilindros, com potência de 189cv e torque de 600 Nm, transmissão Eaton de 6 marchas. A montadora ressalta que o ponto forte do veículo é a capacidade de carga útil, de 7.164 kg.
Crédito: Hamilton Penna

Longa distância

Na Ford, o Cargo 2842, extrapesado recém-lançado no Brasil, está disponível para ser acelerado pelo público, num teste dinâmico, feito em um dinamômetro. Segundo informações da assessoria de imprensa da marca, é a primeira vez que se permite fazer um test drive com caminhão dentro da feira. Ele apresenta alta capacidade de carga com baixo custo operacional para o transporte rodoviário de longa distância.
Crédito: Hamilton Penna

Guerreiro

O caminhão militar 4x4 é o destaque da Agrale. O Marruá AM 41 foi desenvolvido para as Forças Armadas Brasileiras, com a finalidade de transportar de carga, equipamento e pessoal. Tem capacidade para 5.000 (carga + reboque) e amplo curso de suspensão, para encarar qualquer tipo de terreno. O motor é MWM de 165 cv.
Crédito: Hamilton Penna

Carga pesada

A Volvo anuncia a sua novidade, o FH16, como “o caminhão mais potente do mundo”. O veículo tem motor de 16 litros, que gera 750cv e é indicado para o transporte de cargas indivisíveis. Segundo Roger Alm, presidente do Grupo Volvo América Latina, esse lançamento representa uma nova era para o transporte brasileiro.
Crédito: Hamilton Penna

Manual ou automática

A marca norte-americana DAF, que acaba de chegar ao Brasil, com fábrica em Ponta Grossa (PR), apresentou o XF105, com motor Paccar MX em versões de 410cv e 460cv, com torque de 2000 Nm e 2.300 Nm, respectivamente. Tem opção de caixa de transmissão manual ou automatizada.
Crédito: Hamilton Penna

Bom ambiente de trabalho

O conceito Streamline da Scania oferece a venda com programa de manutenção e opcionais num só pacote. Disponível para as cabines G, R e R Highline. Com potências de 400, 440, 480, 560 ou 620cv. O caminhão-show, um Streamline R-620 V8, tem cabine conta com equipamentos de conforto e segurança, como bafômetro que impede a ignição caso o resultado seja positivo, cafeteira e banco de couro.
Crédito: Hamilton Penna

Motor etanol

Outra novidade é o R-620 na configuração 8x4, com capacidade para 250 toneladas, a maior do mercado, segundo a Scania. A marca também apresenta em seu estande o motor etanol, com tecnologia exclusiva para comercialização na América Latina.
Crédito: Hamilton Penna

Comerciais Leves

O segmento de comerciais leves também tem espaço na Fenatran. A Renault levou para seu estande o Kangoo Elétrico, com seis unidades fornecidas para a companhia FedEx.
Crédito: Hamilton Penna

Mais Leves

Ainda na linha de comerciais leves da marca estão o novo Uno Furgão e a nova Fiorino, além da picape Strada com três portas, recém-lançada, em sua primeira aparição para o público.
Crédito: Hamilton Penna

Maior capacidade

Versões de implementação do HR, comercial leve da Hyundai, e o HD78 4x4, com capacidade ampliada para 7.800 kg, foram os destaques da marca.
Créditos: Peter Fussy

Veja mais do 19º Salão Internacional do Transporte

Fiat Fiorino

Créditos: Peter Fussy

Fiat Fiorino

Créditos: Peter Fussy

Fiat Fiorino

Créditos: Peter Fussy

Fiat Fiorino

Créditos: Peter Fussy

Fiat Fiorino

Créditos: Peter Fussy

Fiat Fiorino

Créditos: Peter Fussy

Fiat Uno Furgão

Créditos: Peter Fussy

Fiat Uno Furgão

Créditos: Peter Fussy

Fiat Uno Furgão

Créditos: Peter Fussy

Ford Cargo 2842

Créditos: Peter Fussy

Ford Cargo 2842

Créditos: Peter Fussy

Ford Cargo 2842

Créditos: Peter Fussy

Ford Cargo 2842

Créditos: Peter Fussy

Ford Cargo 2842

Créditos: Peter Fussy

Ford Cargo 2842

Créditos: Peter Fussy

Ford Transit 2014

Créditos: Peter Fussy

Ford Transit 2014

Créditos: Peter Fussy

Ford Transit 2014

Créditos: Peter Fussy

Ford Transit 2014

Créditos: Peter Fussy

Ford Transit 2014

Créditos: Peter Fussy

International 9800i

Créditos: Peter Fussy

International 9800i

Créditos: Peter Fussy

International 9800i

Créditos: Peter Fussy

International 9800i

Créditos: Peter Fussy

International 9800i

Créditos: Peter Fussy

International 9800i

Créditos: Peter Fussy

International 9800i

Créditos: Peter Fussy

International 9800i

Créditos: Peter Fussy

International 9800i

Créditos: Peter Fussy

Man TGX 30

Créditos: Peter Fussy

Man TGX 30

Créditos: Peter Fussy

Man TGX 30

Man TGX 30

Créditos: Peter Fussy

Man TGX 30

Créditos: Peter Fussy

Man TGX 30

Créditos: Peter Fussy

Renault Kangoo FedEx

Créditos: Peter Fussy

Renault Kangoo FedEx

Créditos: Peter Fussy

Renault Kangoo FedEx

Créditos: Peter Fussy

Renault Kangoo FedEx

Créditos: Peter Fussy

Renault Kangoo FedEx

Créditos: Peter Fussy

Renault Kangoo FedEx

Créditos: Peter Fussy

Renault Kangoo FedEx

Créditos: Peter Fussy

Scania G400

Créditos: Peter Fussy

Scania P 310

Créditos: Peter Fussy

Volvo FH 16

Créditos: Peter Fussy

Volvo FH 16

Créditos: Peter Fussy

Volvo FH 16

Créditos: Peter Fussy

Volvo FH 16

Créditos: Peter Fussy

Volvo FH 16

Créditos: Peter Fussy

Volvo FH 16

Créditos: Peter Fussy

Agrale 4x4 Marruá

Créditos: Peter Fussy

DAF FTT XF105.460

Créditos: Peter Fussy

DAF FTT XF105.460

Créditos: Peter Fussy

DAF FTT XF105.460

Créditos: Peter Fussy

DAF FTT XF105.460

Créditos: Peter Fussy

DAF FTT XF105.460

Créditos: Peter Fussy

DAF, modelo XF. Conjunto motriz do caminhão

Créditos: Peter Fussy

Fiat Fiorino

Créditos: Peter Fussy

Fiat Fiorino

Créditos: Peter Fussy

Fiat Uno Furgão

Créditos: Peter Fussy

Ford Cargo 116

Créditos: Peter Fussy

Ford Cargo 816

Créditos: Peter Fussy

Ford Cargo 2842

Créditos: Peter Fussy

Ford Cargo 2842

Créditos: Peter Fussy

Ford Cargo 2842

Créditos: Peter Fussy

Ford Transit

Créditos: Peter Fussy

Ford Transit

Créditos: Peter Fussy

Hyundai apresenta soluções inovadoras

Créditos: Peter Fussy

Interior da Sprinter foi customizado com bancos de couros, TV, sistema de som versão Limousine

Créditos: Peter Fussy

Iveco Hi-Way

Créditos: Peter Fussy

Iveco Hi-Way

Créditos: Peter Fussy

Stand da Mercedes

Créditos: Peter Fussy

Iveco Hi-Way

Créditos: Peter Fussy

Stand da Mercedes

Créditos: Peter Fussy

Iveco Hi-Way

Créditos: Peter Fussy

Stand da Mercedes

Créditos: Peter Fussy

Iveco Hi-Way

Créditos: Peter Fussy

Iveco Tector

Créditos: Peter Fussy

Iveco Tector

Créditos: Peter Fussy

Iveco Tector

Créditos: Peter Fussy

Iveco. Motor cortado em exposição, para que o visitante possa ver o funcionamento

Créditos: Peter Fussy

Man TGX 29480

Créditos: Peter Fussy

Man TGX

Créditos: Peter Fussy

Stand da Mercedes

Créditos: Peter Fussy

Stand da Mercedes

Créditos: Peter Fussy

Stand da Mercedes

Créditos: Peter Fussy

Stand da Mercedes

Créditos: Peter Fussy

Stand da Mercedes

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Axor 2544

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Accelo 1016

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Actros 2546

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Actros 2546

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Actros 2546

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Actros 2546

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Actros 2546

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Actros 4160. Motor com 600 cv de potência

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Actros 4160

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Actros com sistema de orientação de faixa de rolagem, que emite sinal sonoro se o caminhão mudar a trajetória

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Atego 2430. Cámbio autom tico de 12 velocidades

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Atego 2430

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Atego 2430

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Atego 2430

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Atron 1716

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Axor 1933

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Axor 1933

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Axor 1933

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Axor 1933

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Axor 1933

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Axor 2544

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Axor 2544

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Axor 2544

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Axor 3131. Câmbio semiautomático

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Axor 3131 com o pedal de embreagem do câmbio semiautomático

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Axor 3131

Créditos: Peter Fussy

Mercedes linha Axor com cama King size, como item opcional

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Sprinter

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Sprinter

Créditos: Peter Fussy

Mercedes Sprinter

Créditos: Peter Fussy

Stand da Scania

Créditos: Peter Fussy

Stand da Scania

Créditos: Peter Fussy

Stand da Scania

Créditos: Peter Fussy

Stand da Scania

Créditos: Peter Fussy

Scania exibe motor etanol

Créditos: Peter Fussy

Scania R 620 V8

Créditos: Peter Fussy

Scania R 620 V8

Créditos: Peter Fussy

Scania R 620 V8

Créditos: Peter Fussy

Scania R 620 V8. Itens como bafômetro e banco de couro

Créditos: Peter Fussy

Scania R 620 na configuração 8x4, com capacidade para 250 toneladas

Créditos: Peter Fussy

Scania Streamline G 440

Créditos: Peter Fussy

Scania. Detalhe do interior do Streamline, com cafeteira

Créditos: Peter Fussy

Renault Kangoo Z.E

Créditos: Peter Fussy

Renault Kangoo Z.E

Créditos: Peter Fussy

Renault Kangoo Z.E

Créditos: Peter Fussy

Renault Kangoo Z.E

Créditos: Peter Fussy

Renault. Veículos leves

Créditos: Peter Fussy

Volkswagen Constellation 26.420

Créditos: Peter Fussy

Volkswagen Constellation 26.420

Créditos: Peter Fussy

Volkswagen Constellation 26.420

Créditos: Peter Fussy

Volvo FH16 750

Créditos: Peter Fussy

Volvo FH16 750

Créditos: Peter Fussy

Volvo FH16 750

Créditos: Peter Fussy

Volvo Safety Centre. Testes de segurança