1 evento ao vivo

Genius, Susi, autorama, Pégasus; veja brinquedos dos 75 anos da Estrela

14 ago 2012
07h04

A Estrela, principal marca de brinquedos do País e única do setor que comercializa ações na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), completa 75 anos em 2012, após superar dificuldades como a concorrência de produtos chineses e a valorização da moeda brasileira. Para comemorar a data, a empresa retoma clássicos de décadas anteriores como o Genius, que utiliza o mesmo molde do original, além de lançar uma nova versão do Boca Rica que, remodelado, agora "fala".

O Detetive foi lançado em 1991
O Detetive foi lançado em 1991
Foto: Divulgação

Fundada em 1937, a marca começou fabricando bonecas de pano e carrinhos de madeira. Posteriormente, acompanhando a revolução industrial pela qual passou o País na década de 40,passou a utilizar plástico, metais e outros materiais. Segundo a Estrela, ao longo dos 75 anos foram criados cerca de 25 mil produtos, com distribuição de 1,5 bilhão de unidades em todo o País.

De acordo com o diretor de marketing da empresa, Aires Leal Fernandes, trata-se de um momento importante para a marca, que conseguiu se consolidar mesmo após enfrentar inúmeras diversidades. "É um ano muito festivo, vamos lançar 200 novos produtos e a coroação vai ser com a chegada do Genius, para o Dia das Crianças." Segundo ele, todos os meses a empresa recebia cerca de 80 pedidos para o relançamento do produto.

Para Fernandes, dentre os desafios enfrentados pela empresa na década de 90, destacam-se a paridade entre o dólar e o real, o que fez com que os importados ficassem com o preço muito atrativo no mercado nacional, e a concorrência chinesa, que também trouxe produtos ao País com preços mais baixos.

No início dos anos 90, a Estrela chegou a representar 85% das exportações de brinquedos brasileiros, de acordo com a empresa. Em 1991, a empresa investiu US$ 15 milhões no mercado externo e exportava alguns de seus produtos para a Argentina. Essa representatividade nas exportações seguiu até 1999, quando começou a perder espaço e optou por encerrar com o comércio para o exterior em 2004.

"Foi um momento complicado, tivemos que descentralizar a produção, fechamos a fábrica de São Paulo e abrimos unidades menores. Essa racionalização logística foi fundamental para conseguirmos sobreviver", diz o diretor.

Segundo Fernandes, os brinquedos do Brasil são os mais caros do mundo, pois cerca de 50% do preço final é composto apenas por impostos. "Falta um estímulo governamental para desonerar o setor, os custos trabalhistas também são muito altos. Os brinquedos são educativos, auxiliam no desenvolvimento das crianças e deveriam ter uma carga tributária menor", afirma.

Conheça fatos marcantes da história da Estrela
Segundo a empresa, foi a Estrela que produziu a primeira boneca de plástico no País, na década de 40, época de produção do primeiro brinquedo de madeira com movimento e som: o cachorro Mimoso. Outro produto de sucesso foi o Banco Imobiliário, versão brasileira do americano "Monopoly", que começou a ser produzido em 1944, ano em que a empresa se tornou uma sociedade anônima, e nunca saiu de linha. Na sequência, em 1946, foi lançada a primeira massa de modelar da marca, considerada outro sucesso.

Outras bonecas também marcaram a história da marca. A "Pupi", de 1950, era uma novidade, pois "dormia e chorava". Em 1954, foi lançada uma versão "Palhaço" do produto. Nesse setor outros destaques foram o Bebê que anda (1951), a Chiquita Bacana (1958), a Gui Gui, que "ria" quando a criança abria e fechava seus braços, lançada na década de 60, e a Beijoca, que inovava pelo tamanho (90 centímetros) e que hoje está de volta ao mercado, em versão atualizada.

Em 1966, foi a vez de entrar no mercado a Susi, uma concorrente da americana Barbie, da Mattel. Até 1985, quando saiu de linha, 20 milhões de unidades haviam sido vendidas. A boneca foi relançada em 1997 e continua sendo produzida. Outro setor importante para a Estrela foi o dos brinquedos elétricos. O mais marcante, o Autorama, com carros e pista de corrida, lançado na década de 60, nunca saiu de linha e foi assinado por grandes corredores brasileiros como Emerson Fittipaldi, José Carlos Pacce, Nelson Piquet, Ayrton Senna e Rubens Barrichello.

Na década de 70, a empresa passou a trabalhar com brinquedos de ação e lançou produtos como o Falcon (1977), o primeiro boneco para meninos. Conforme a companhia, o grande destaque nesse período foi o Falcon Olhos de Águia, que movimentava os olhos quando era apertado um botão em sua nuca.

Em 1980, os destaques foram os brinquedos eletrônicos. Em 1980 é lançado o Genius. Segundo a empresa, na época o produto ficou conhecido como "o computador que fala". Na sequência foi produzido o Merlin (1981), outro jogo eletrônico e o Ar-Tur, um robô com automovimento. Em 1984, foi lançado o Pégasus, um carro radiocontrolado, seguido de Colossus (1985). Outros veículos da década foram o Dragão (1987), Trombada (1987), Anfíbius (1989) e Elastikon (1988).

Ainda nesse período a eletrônica foi incorporada às bonecas, que passaram a ser mais interativas. Modelos como a Amore, a primeira boneca eletrônica do Brasil, segundo a Estrela, e a Bate Palminha, fizeram sucesso e disputavam a preferência com a boneca Tchibum (1986), que "nadava".

A marca pegou carona nas séries televisivas de sucesso daquela época e lançou novos bonecos de ação baseados nos Comandos em Ação (1985) e He Man (1986). Na década de 90, um dos destaques foi a boneca Sapequinha (1996), primeira a utilizar fibra óptica e foto sensor para "perceber" a aproximação da criança e a Dancin'Flor (1990), uma flor dançante.

A partir de 2000, a empresa voltou a investir em produtos criados para atender a um público da TV. Em 2001, foi lançado o jogo Show do Milhão, baseado em um programa do SBT, que vendeu cerca de 1 milhão de unidades em duas versões. A marca também criou o jogo Big Brother Brasil, baseado no programa da Globo que estreou no ano anterior. Apenas em 2003, a empresa lançou 250 produtos entre brinquedos tecnológicos, bonecas, jogos, brincadeiras pré-escolares, figuras de ação, veículos radiocontrolados, além de 30 versões de Susi.

Em janeiro de 2001, a empresa criou a Casa dos Sonhos Estrela, em São Paulo, que abrigava o Museu do Brinquedo, que contava a história da empresa através dos seus produtos. O local, que funcionou até 2006, foi visitado por cerca de 250 mil pessoas e contava também com o escritório da marca, que foi transferido para o bairro Vila Olímpia após o fechamento da casa.

Conheça os principais brinquedos da Estrela
Banco Imobiliário - lançado inicialmente em 1944, nunca saiu de linha e é o brinquedo mais vendido do Brasil, conforme a da empresa. Dentre as diversas edições especiais e relançamentos, destacam-se os bancos da Turma da Mônica, Liga da Justiça e Shrek. Atualmente, a empresa conta em catálogo com o Banco Imobiliário, o Super Banco Imobiliário (cartões de crédito e débito), o Banco Imobiliário Luxo, o Banco Imobiliário Júnior (para crianças a partir de seis anos), o Banco Imobiliário Brasil, o Banco Imobiliário Sustentável e o Banco Imobiliário Jogo de Cartas (mais fácil de ser transportado)

Jogo da Vida - Lançado em 1986, também nunca saiu de linha. Teve relançamentos ligados principalmente a personagens como Turma da Mônica, Shrek e Toy Story 3. Em 2010, teve uma edição chamada "Jogo da Vida Feliz", nele o que importava não era acumular dinheiro e sim a felicidade. Atualmente, está disponível nas versões tradicional (com roleta e dinheiro em papel), como Super Jogo da Vida (com roleta eletrônica e cartões de crédito e débito) e como Jogo da Vida Jogos de Cartas.

Detetive
No mercado desde 1977, teve relançamentos ligados à Turma da Mônica, Scooby-Doo e Toy Story 3, segundo a assessoria. É encontrado hoje nas versões Detetive 3D, que vem com oito óculos para os jogadores e as imagens do tabuleiro e das cartas em terceira dimensão, Detetive, com o tabuleiro e cartas tradicionais, Detetive Jogos para Viagem, com um tabuleiro em miniatura para levar na mala de viagem e Detetive Jogos de Cartas, em que a mecânica do tabuleiro é transferida para um jogo de cartas.

Susi
Lançada em 1966, a cópia nacional da "Barbie" ficou no mercado até 1985 e resurgiu remodelada em 1997. Em 2007, quando ganhou uma coleção de roupinhas da Daslu. Em 2012, a boneca terá as novas versões: Susi Wireless, que vem com um cartão que permite à criança acessar pelo computador o closet virtual da Susi, Susi Estilista, que vem com acessórios para as meninas personalizarem suas roupase a Susi romântica. Além dessas a linha conta com as versões Susi Top Model, Susi Look Fashion e Susi Neon.

Autorama
lançado em 1960, teve reedições com alguns pilotos famosos como Carlos Pace, Emerson Fittipaldi, William Fittipaldi, Nelson Piquet, Ayrton Senna e Rubens Barrichello. Nesse ano, o Autorama pode ser encontrado na versão Stock Car, que foi lançado em 2010 para comemorar os 50 anos do produto, com os pilotos Cacá Bueno e Thiago Camilo na embalagem. O lançamento de 2012 é o Autorama Línea, que terá nas pistas carros da marca Fiat, além de tela de LCD e contador de voltas.

Fofolete
Lançado em 1999, as pequenas bonecas Fofoletes já tiveram algumas reedições como Fofoletes Sereias, Fofoletes Pedras da Sorte (que vinham com pedrinhas) e Fofoletes Princesas, que vinham vestidas de personagens de contos de fadas. Atualmente, são encontradas na versão Fofoletes Sorvetinho, com aromas e cores de sorvete: chocolate, uva, abacaxi, tangerina, morango e limão, conforme a empresa.

Meu Bebê
Lançado inicialmente em 1985, nunca saiu de linha. A cada ano a boneca, que continua com o mesmo rosto, ganha uma nova roupa. Em 2011, a Estrela fez uma parceria com a loja de roupas Tip Top e as roupas usadas pelas bonecas podem ser encontradas nas lojas na versão infantil.

Ferrorama
lançado em 1973, ficou no mercado até 1994. Foi relançado em 2010 por causa de um movimento de fãs que começou no Orkut. Atualmente está disponível em duas versões Ferrorama e Ferrorama XP, uma reedição do Ferrorama de mesmo nome que foi lançado em 1980.

Genius
Lançado em 1980, ficou nas lojas até 1993, mas teve reedições em 1994 e 1997. Em 2007 foi lançado em uma versão modernizada com o nome Genius Simon, conforme a assessoria. Em 2012 volta às lojas com o design original. Segundo a empresa, foi preciso recuperar as mesmas fôrmas usadas em 1980 para fabricar o produto.

Boca Rica
Foi lançado em 1984, teve algumas reedições, mas estava fora de linha. Em setembro deste ano volta às lojas em uma versão moderna, com sons emitidos a cada jogada.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade