0

Franchising ajuda consolidação de novos dentistas no mercado

31 jan 2012
08h10
atualizado às 11h14

O acesso à saúde bucal vem aumentando no Brasil. De acordo com o Ministério da Saúde, somente pelo Programa Brasil Sorridente 165,5 milhões de brasileiros tiveram acesso a tratamentos dentários de 2002 a janeiro de 2012.

O mercado de franchising odontológico oferece condições especiais para dentistas recém-formados
O mercado de franchising odontológico oferece condições especiais para dentistas recém-formados
Foto: Dreamstime / Especial para Terra



De olho neste mercado emergente e no poder de compra da classe C, empreendedores têm investido em franchising odontológico. "Esse ramo é crescente e promissor para o setor, porque essas clínicas oferecem serviços mais acessíveis a camadas da população que, antes, não tinham como fazer tratamento bucal", diz Ana Vecchi, diretora da Vecchi & Ancona Consulting, consultoria especializada em franquias. "Para o franqueado, este é um ótimo filão. Isso porque para um dentista formar clientela leva, em média cinco anos. Investindo em uma franquia de marca consolidada, ele ganha tempo", explica.

Nesse tipo de negócio, segundo ela, os pacientes querem um profissional com experiência. O cliente confia no nome que o dentista carrega, explica. "O dentista que abre uma franquia conceituada no mercado é favorecido, mesmo que seja recém-formado. Como empreendedor, ele vai aprender a gerir a sua clínica com a experiência do franqueador e obter uma carteira de clientes de forma mais rápida", avalia.

Odontocompany adota sitema de franquias
A marca, que está no mercado há 22 anos, se transformou em rede de franquias em 2011. Em um ano, o dentista e presidente da OdontoCompany, Paulo Zahr, já vendeu 22 franquias de sua marca. "Hoje, o empreendedor precisa investir de R$ 150 mil a R$ 200 mil para abrir uma franquia da marca. O retorno do investimento acontece está estimado para 18 a 24 meses", afirma.

O foco da rede é a classe C. Para atrair a nova classe média, a marca oferece aos pacientes a possibilidade de parcelar os tratamentos em até 48 vezes sem juros. "Buscamos fornecedores que consigam dar essa mesma condição para a nossa rede. Empresas que sejam nossas parceiras nas facilidades de pagamentos", explica.

Por dia, são atendidos cerca de 120 pacientes por clínica - que se dividem entre 22 franquias e três unidades próprias. As unidades estão localizadas em cidades dos estados da Bahia, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, São Paulo e Rio de Janeiro. Todos os consultórios realizam procedimentos que vão de obturação e canal a implantes e colocação de aparelhos ortodônticos.

Para os recém-formados, a rede disponibiliza um novo modelo de fornecimento de franquia. "Novos dentistas podem comprar uma franquia sem ter de pagar a taxa de franquia. Este plano foi oferecido no Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo, realizado de 28 a 31 de janeiro", diz Zahr.

GOU Clínicas foca aparelhos ortodônticos
Rede especializada em aparelhos ortodônticos, a GOU está no mercado há dois anos. O projeto nasceu da parceria do empresário Luiz Carlos Carrano com o dentista Paulo Gehrke. "Antes de colocar o projeto no ar, passamos dois anos administrando a clínica que seria modelo para o sistema GOU Clínicas", conta Carrano.

Com dois anos no mercado de franchising, a rede possui 26 franquias em operação. Cada consultório fatura mensalmente de R$ 85 mil a R$ 220 mil. Os valores variam de acordo com o porte da clínica. No total, são atendidos de 1.500 a 3.500 pacientes por mês.

Também voltada à classe C, a GOU Clínicas oferece aos pacientes um plano que dá direito a 17 consultas durante o ano. O pagamento da manutenção do aparelho ortodôntico é feito uma vez ao mês.

De acordo com Carrano, o empreendedor vai gastar de R$ 130 mil a R$ 250 mil para montar uma franquia da marca. O prazo estimado para retorno do capital é de 17 meses.

Cross Content
Especial para o Terra






















Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade