0

EUA dizem que gastos contra crise não põem crédito em risco

13 mar 2009
17h04

Os Estados Unidos têm condições de gastar o necessário para restabelecer a saúde da economia sem colocar em risco seu perfil de crédito, afirmou uma porta-voz do Tesouro nesta sexta-feira. "O mercado de títulos do Tesouro continua o mais profundo e mais líquido do mundo", destacou Heather Wong em comunicado.

Mais cedo, o premiê chinês, Wen Jiabao, disse que Pequim esperava ver resultados do plano de recuperação econômica de Barack Obama, mas manifestou preocupação de que gastos maciços e juro perto de zero pudessem erodir o valor dos bônus detidos pela China.

"Para falar sinceramente, eu de fato tenho algumas preocupações", afirmou Wen. "Eu gostaria de pedir que a América mantenha suas condições de crédito, mantenha sua promessa e garanta a segurança dos ativos chineses."

O secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner, está no sul da Inglaterra para um encontro de autoridades financeiras do G20. Os EUA defendem mais gastos e uma reforma regulatória do sistema financeiro para enfrentar a crise.

A China é o país que mais detém títulos da dívida pública americana e tem investido cerca de 70% de suas reservas internacionais em ativos em dólar.

A Casa Branca também procurou reassegurar a China de que "não há investimento mais seguro no mundo que nos Estados Unidos", afirmou o porta-voz Robert Gibbs.

» Confira mais notícias sobre Economia

Fonte: Invertia Invertia
publicidade