0

Empresários de São Paulo lucram com aluguéis de tablets

23 nov 2012
07h02

Os empresários Guto Ramos e Rony Breuel, ambos com 25 anos, fundaram em maio de 2011 a BR Mobile. A ideia inicial do negócio era a locação de iPads,

A BR Mobile iniciou seus trabalhos com a locação de iPads, tabletda Apple, para empresas e pessoas físicas
A BR Mobile iniciou seus trabalhos com a locação de iPads, tabletda Apple, para empresas e pessoas físicas
Foto: Dreamstime / Terra

tablet

da Apple, para empresas e pessoas físicas. Com o sucesso, a empresa diversificou suas atividades e hoje loca diversos tipos de equipamentos eletrônicos.



Mas, para iniciar o negócio, a primeira prestação de serviço foi feita com os equipamentos pessoais dos proprietários. "Apresentamos uma proposta com o aluguel de 16 iPads para um amigo que é dono de um pousada. Ele gostou, mas encomendou apenas dois. Precisávamos entregar a mercadoria em dois dias. Por isso, acabamos enviando os nossos tablets pessoais. E foi assim que a empresa começou oficialmente", explica Guto.

Após atender ao primeiro cliente, os sócios investiram R$ 12 mil na compra de seis iPads. "Depois de adquirir os seis primeiros iPads, nós não fizemos mais nenhum investimento na empresa. Ela vem se mantendo sozinha", afirma Guto.

Abertura no portfólio
A ideia inicial dos empresários era de manter o foco no aluguel de tablets , especificamente, iPads. Mas, de acordo com a demanda da clientela, o portfólio foi aumento e, hoje, inclui computadores, iPhones, iPods e Samsung Galaxy e TVs, entre outros equipamentos.

"A abertura no mix de produto foi surgindo com a necessidade do cliente. A gente recebia pedidos para a locação de tablets para um evento e o cliente também queria TVs e outros aparelhos eletrônicos. Percebemos que seria importante agregar outros produtos ao nosso catálogo", conta Rony.

A captação de bons clientes também foi uma meta dos jovens empreendedores. Hoje, a BR Mobile atende a empresas como Banco BTG, Pfizer, BMW, Cosan, Ambev, Deca, Net, Unimed, Sanofi, Caesar Park, Bel Agrícola, Boston Scientific, Colgate e Votorantim.

Aplicativos Além de oferecer os aparelhos eletrônicos, os empreendedores também trabalham no desenvolvimento de aplicativos personalizados para os clientes.

Recentemente, a empresa fez o lançamento do primeiro aplicativo disponível para venda e para o público em geral. O Meu Boletim é um programa feito para ajudar os estudantes a organizar a vida academia. O aplicativo está disponível para o sistema iOS, da Apple, por US$ 1,99.

Segundo Rony, o objetivo é lançar mais aplicativos e explorar um pouco desse mercado que se mostra promissor. De acordo com a IDC, neste ano o mercado de aplicativos móveis deve faturar US$ 15 bilhões e o número de downloads deve atingir 73 bilhões de unidades.

BR Mobile em números
Até agora, os números que a BR Mobile conquistou foram além do esperado pelos empreendedores. A empresa fechou seu primeiro ano de vida com um faturamento de R$ 1 milhão. Ao todo, foram mais de 340 contratos de locação durante os primeiros 12 meses.

De acordo com os sócios, o faturamento bruto mensal da empresa fica entre R$ 140 mil e R$ 180 mil. Para o segundo ano, os empreendedores esperam dobrar o faturamento. "Temos ciência de que o terceiro ano de vida da empresa possa vir com uma leve desaceleração. Por isso, ainda não temos metas definidas para esse período", afirma Guto Ramos.

Fonte: Cross Content

compartilhe

publicidade
publicidade