5 eventos ao vivo

Em expansão, classe C gasta mais com casa e comida congelada

1 ago 2011
15h21
atualizado às 16h50
Fábio Bonillo
Direto de São Paulo

As famílias da chamada "nova classe média" devem gastar cerca de R$ 1,03 trilhão com consumo em 2011, segundo estimativa da Data Popular. Desse montante, a maior parte (31,55%) deve ser destinada à manutenção do lar, artigos de limpeza, mobiliário, eletrodomésticos e eletrônicos. Em seguida aparecem serviços como cabeleireiro, manicure, lavanderia, sapateiro, empregada doméstica, cartórios, com 23,16%. Alimentação e bebidas devem concentrar 18,49% do consumo, seguido de saúde e beleza (8,32%), transporte (8,17%), vestuário (5,12%), educação (2,07%), entretenimento (1,6%) e viagens (1,52%).

No ambiente do supermercado, as famílias da nova classe média passaram a consumir mais alimentos congelados e semiprontos - 26% já afirmaram comprar pizzas e 54% adquiriram iogurte. Outro destaque são produtos da chamada linha branca, principalmente máquina de lavar, por causa da consolidação da mulher no mercado de trabalho, na avaliação da Data Popular.

Com mais uma pessoa sendo fonte de renda na família, há oportunidade para uma maior procura pelos salões de beleza (41%) e pelos cosméticos, como o rímel (47%), para reforçar a imagem pessoal. A classe C, inclusive, foi a que mais gastou em 2010 com higiene e cuidados pessoais, segundo pesquisa da consultoria.

Dos R$ 43,4 bilhões gastos com higiene e cuidados pessoais no ano passado, 45,6% (ou R$ 19,8 bilhões) vieram da classe C, ante 26,6% (ou R$ 2,4 bilhões) em 2002. Já o consumo das classes A e B, juntas, aumentou três vezes no período, para R$ 15,9 bilhões. O maior gasto foi verificado nos cuidados para cabelo e corpo, respectivamente, de R$ 18,50 e R$ 17,30 a cada R$ 100 gastos com produtos de beleza.

Serviços de comunicação e lazer eletrônico também receberam maiores injeções de dinheiro da nova classe média, como telefone fixo (67%), DVDs (55%) e TV por assinatura (20%). De acordo com pesquisa da Data Popular, 43% dos brasileiros que já pagam por pacotes além dos canais abertos pertencem à classe C. Além disso, 65% do total de consumidores que pretendem adquirir uma assinatura nos próximos 12 meses fazem parte da nova classe média.

Em relação ao lazer, a classe C já responde por 43% do total de passageiros em viagens de cruzeiros nos últimos três anos, ante 44% das classes A e B e 13% das classes D e E.

Um outro levantamento feito pela Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac) apontou ainda que a presença da classe C no mercado de seguros de automóveis cresceu 158,3% em 2010 na comparação com 2006, e enquanto o mesmo serviço para motocicletas avançou 153,6%. O estudo contou com amostra de 731 consumidores das capitais São Paulo, Salvador e Porto Alegre.

Nova classe média deve gastar cerca de R$ 1,03 trilhão com consumo em 2011
Nova classe média deve gastar cerca de R$ 1,03 trilhão com consumo em 2011
Foto: Getty Images
Fonte: Terra
publicidade