0

Economistas preveem leve alta na inflação em 2013

Para 2014 a projeção para a elevação da inflação foi mantida em 5,92%

4 nov 2013
08h48
atualizado às 10h02
  • separator
  • 0
  • comentários

Economistas de instituições financeiras mantiveram a perspectiva de continuidade do ajuste das condições monetárias no País, ao mesmo tempo em que elevaram ligeiramente a projeção para a inflação neste ano. A pesquisa Focus do Banco Central (BC) nesta segunda-feira mostrou que a estimativa para a última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) deste ano, em 26 e 27 de novembro, foi mantida em novo aumento de 0,5 ponto percentual na Selic, encerrando o ano a 10%.

Já para a inflação a mediana das projeções aponta estimativa para alta do Ìndice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano em 5,85%, ante 5,83%. Para 2014 a projeção para a elevação do indicador foi mantida em 5,92%. Em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), o Focus mostrou que a projeção de expansão permaneceu em 2,5% para este ano e em 2,13% para 2014.

Um dos principais pesos sobre a economia é a indústria, com performance errática neste ano. Em setembro a produção do setor se recuperou de dois meses de fraqueza com avanço de 0,7%, segundo dados do IBGE, mas fechou o terceiro trimestre com retração de 1,4%.

No Focus, os economistas veem expansão da indústria neste ano de 1,77%, ante 1,8% na pesquisa anterior. Com a inflação ainda em níveis elevados, o BC já sinalizou que seguirá com o aperto dos juros, depois de uma série de altas que levou a taxa básica de juros ao patamar atual de 9,5%.

Para 2014, a expectativa no Focus foi mantida em 10,25%. A mediana das estimativas do Top 5 de médio prazo, com as instituições que mais acertam as projeções nesse período, também manteve a perspectiva de que a Selic encerrará 2013 em 10%. Mas para o próximo ano a projeção foi elevada a 10,75%, ante 10,5% na semana anterior.

 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade