PUBLICIDADE

Como montar uma vitrine atraente e aumentar as vendas

14 mai 2012 08h40
| atualizado às 10h58
Publicidade

Não é difícil imaginar por que uma vitrine atraente é importante para os negócios. O consumidor é bombardeado por informações visuais o tempo todo. A vitrine é a chance que um empreendedor tem de conseguir se diferenciar dos demais e atrair o cliente para dentro do seu ponto de venda. E isso vale para empresas de qualquer porte.

A vitrine é a chance que um empreendedor tem de conseguir se diferenciar dos demais e atrair o cliente para dentro do seu ponto de venda
A vitrine é a chance que um empreendedor tem de conseguir se diferenciar dos demais e atrair o cliente para dentro do seu ponto de venda
Foto: Shutterstock / Especial para Terra



Para começar, é fundamental conhecer o "corredor comercial" onde se atua. Uma boa vitrine em um local poderá não surtir o mesmo efeito em outro. "A partir da localização do ponto de venda, o empresário já consegue traçar as características do seu público. Por isso, uma loja de rua e uma de shopping são diferentes", explica Leo Ribeiro, consultor independente de marketing e varejo, de São Paulo.



O passo seguinte é focar a exposição dos produtos nas necessidades reais do consumidor. É preciso montar a vitrine atento ao que acontece em volta. "Se, mesmo no inverno, o tempo esquenta, é recomendável que uma loja de roupas exponha alguns produtos com mais cara de verão. Isso potencializa das vendas", garante Leo.



Visual atraente

Definir o padrão visual é um dos primeiros passos a tomar, sugere o consultor. A composição não deve estar focada em mais de três cores. Mesmo que a marca aposte em muitos tons, é preciso encontrar uma combinação que não gere confusão visual nos consumidores.



Outra dica é descobrir qual é ponto forte da loja. Um exemplo são as Casas Bahia. "O forte deles é o parcelamento. Então, tudo na vitrine chama para isso e o preço total do produto fica escondido", diz Leo.



Além disso, toda a comunicação tem de estar na altura dos olhos do cliente. Caso contrário, a vitrine gerará desconforto visual no consumidor.



Rotatividade

A definição do que vai ser exposto varia conforme a venda da própria unidade. No caso de uma loja de roupas unissex cuja venda é 70% feminina e 30% masculina, a vitrine deve retratar isso: a maior parte dos produtos para as mulheres e o restante para os homens.



Trocar os objetos expostos e a ambientação da vitrine periodicamente é essencial para não cansar o olhar dos clientes. "O tema pode ser trocado mensalmente, mas os produtos têm de ser mudados toda semana", diz o consultor.



As datas comerciais são boas oportunidades para lucrar e um dos quesitos que faz diferença nessa hora é uma vitrine bem montada. "A palavra promoção é melhor do que desconto", afirma Leo. Segundo ele, "desconto" dá a impressão de que está se vendendo algo de qualidade inferior, ou cuja vendagem não foi boa.



Agências especializadas

Para empreendedores novatos, a arte da vitrine pode ser aprendida em cursos rápidos - alguns até de 15 dias - que explicam como montar um conjunto chamativo. Há ainda a possibilidade de se contratar uma agência especializada e terceirizar a montagem. "É um custo pequeno perto do quanto ele pode lucrar", opina Leo.



O empreendedor que decidir fazer a vitrine sozinho precisa treinar a equipe para que todos saibam da sua importância. Mesmo assim, um colaborador terá de ser o responsável por essa área e fazer os ajustes necessários periodicamente.

Fonte: Cross Content
Publicidade