3 eventos ao vivo

Vendas de veículos no Brasil sobem 4,79% no 1º semestre

No acumulado do primeiro semestre, as vendas de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus atingiram 1,799 milhão de unidades

2 jul 2013
11h56
atualizado às 12h25
  • separator
  • comentários

As vendas de veículos novos no Brasil em junho subiram 0,76% na comparação com maio, mas recuaram 9,79% sobre junho de 2012, para 318,6 mil unidades, informou a associação de concessionários, Fenabrave. No acumulado do primeiro semestre, as vendas de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus subiram 4,79% sobre o mesmo período do ano passado, para 1,799 milhão de unidades.

Junho de 2012 foi o primeiro mês cheio a contar com os efeitos da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) pelo governo federal, que causou forte movimento de antecipação de compras por consumidores.

A Fenabrave ainda reviu estimativas anunciadas em março para as vendas de veículos em 2013. A entidade agora espera que as vendas de automóveis e comerciais leves este ano cresçam 3,3%, para 3,754 milhões de unidades, ante expectativa anterior de 2,6%.

Já as vendas de caminhões devem crescer 10%, a 151,49 mil unidades, ante previsão anterior de expansão de 15%. A estimativa para ônibus é de crescimento de 13% para 33,58 mil. A Fenabrave estimava anteriormente expansão de 15% para este segmento.

A entidade também revisou sua previsão para os licenciamentos de motos de crescimento de 3,7% para queda de 2% este ano, a 1,60 milhão de unidades. A Fiat encerrou junho com vendas de 63.847 carros e comerciais leves, equivalentes a 21,08% do mercado.

Enquanto isso, a Volkswagen teve vendas de 58.749 unidades, uma fatia de 19,4%. A General Motors registrou licenciamentos de 55.484 veículos, ou 18,32% do mercado, seguida pela Ford, com 28.728 unidades. A Renault vem na sequência com vendas de 20.018 veículos em junho, seguida pela Hyundai com emplacamentos de 15.887 unidades.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • comentários
publicidade