0

Toyota Etios pode custar menos de R$ 35 mil e será exportado

3 ago 2012
11h06
atualizado às 11h55

Karina Craveiro
Direto de São Paulo

Prestes a inaugurar sua nova unidade fabril em Sorocaba, no interior de São Paulo, e a lançar seu modelo "popular", chamado Etios, a Toyota se diz disposta a investir no mercado nacional nos próximos anos, mesmo sem falar em números. Em um encontro com representantes da marca, em São Paulo, Mark Hogan, consultor internacional da Toyota Motor Corporation, afirmou que a estreia das versões hatch e sedã do Etios é o primeiro passo para fazer mais volume, mesmo com preço anunciado de R$ 35 mil. "É um valor competitivo", limitou-se a dizer. Já Luiz Carlos Andrade Junior, vice-presidente sênior da Toyota Mercosul, afirmou que os preços ainda estão sendo definidos. "Não significa que este seja um preço fechado. Pode ser que venha abaixo de R$ 35 mil, por que não?", especulou.

A nova planta da marca irá produzir, em um primeiro instante, 70 mil unidades do Etios por ano, e a exportação de uma parte da produção já está fechada para o mercado argentino. "É possível que cheguemos a 100 mil unidades em um ano. Acho que o Etios vai criar uma nova expectativa nesse segmento", diz Hogan, completando que serão dois turnos de trabalho, com dois mil funcionários.

Os motores 1.3 l e 1.5 l - sem potências reveladas - virão de uma fábrica da montadora no Japão. A escolha das unidades propulsoras acima de 1.0 l, segundo Andrade, foi feita depois de algumas pesquisas com consumidores. "Descobrimos que o consumidor brasileiro compra o carro com motor 1.0 l, mas não é exatamente o que ele quer. Todo mundo gosta de um carro com maior desempenho. A equação foi conseguir uma motorização maior com os mesmos benefícios de economia de combustível e de preço de 1.0 l", explica. O executivo diz que a possibilidade da produção dos motores por aqui, assim como a introdução de um câmbio automático para o Etios, dependerá da demanda do mercado.

Durante o encontro, Hogan disse que reconhece que a montadora demorou a fazer investimentos no País. A fábrica de Sorocaba havia sido programada para 2008, mas foi adiada por duas vezes. "O Brasil nunca perdeu a prioridade para a Toyota. Muitas montadoras adiaram o investimento por causa da crise, assim como nós. Nós entendemos agora que o Brasil é muito importante, apesar de representar apenas 1% das vendas do grupo. Levamos bem mais tempo para chegarmos aqui, mas acho que a nova fábrica vai ser um exemplo, e vamos conseguir boas vendas nesse País", pondera.

Além do novo Etios, os executivos confirmaram a vinda do híbrido Prius ainda no segundo semestre. "O salão do automóvel está aí em outubro, e teremos muitas surpresas no estande da marca. A venda do Prius vai acontecer nesse período", admite.

O novo compacto brasileiro terá motorização 1.3 l e 1.5 l
O novo compacto brasileiro terá motorização 1.3 l e 1.5 l
Foto: Divulgação
Fonte: Terra
publicidade