5 eventos ao vivo

Faróis de xênon precisam de limpeza e regulagem

14 nov 2013
07h13
  • separator
  • 0
  • comentários

Permitidos apenas nos veículos originais, os faróis de xênon precisam de cuidados especiais em relação à limpeza e regulagem. Se você tem um carro com esse componente, veja como cuidar.

A instalação dos faróis de xênon é proibida no Brasil pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). A medida de segurança foi adotada para visar a proteção da visão dos motoristas que vêm em sentido oposto. Contudo, a permissão foi mantida para os veículos que vêm com o equipamento de fábrica. A reposição também pode ser feita em caso de quebra.

O primeiro cuidado é em relação às lâmpadas xênon, que têm vida útil de seis anos, em média. Em relação às lâmpadas comuns, elas duram cerca de três vezes mais. É sempre bom verificar o funcionamento, especialmente antes de viagens.

Os faróis também se desregulam pela oxidação e, até mesmo, desgaste natural. Isso é mais comum em veículos que circulam muito em estradas esburacadas. A regulagem desse tipo de farol é de extrema importância. Por ser aproximadamente três vezes mais forte do que o farol comum, se deve tomar cuidado com acidentes pela incidência direta da luminosidade nos olhos de quem está no sentido contrário. Deve-se prestar atenção ao farol da direita: este deve ter maior abrangência do que o da esquerda. Assim, a visão do motorista que vem do sentido oposto se preserva. 

A regulagem deve ser feita em empresas especializadas pelo menos uma vez por ano, levando em conta os critérios estabelecidos pelo Contran. Caso a luz esteja prejudicando veículos que vêm no sentido contrário, o motorista pode levar uma multa de R$ 127,69 e cinco pontos na carteira.

Limpeza

É obrigatório a existência de um dispositivo capaz de executar a manutenção dos faróis. Normalmente é caracterizado por um pequeno esguicho preso ao para-choque dianteiro do veículo. Ao ser acionado por um comando no interior do carro, o dispositivo trata de borrifar água nos faróis.

Fonte: Canarinho Press Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade