Economia

publicidade
24 de setembro de 2012 • 12h39

Caixa prevê contratar mais 12 mil funcionários em 2013

 

O presidente da Caixa, Jorge Hereda, afirmou nesta segunda-feira, em São Paulo, que o banco deverá contratar mais 12 mil funcionários em 2013 para as mais de 2 mil novas agências previstas. Segundo o presidente, o banco tem atravessado bem o período de crise econômica mundial. "Não somos autistas de dizer que a crise não existe. Mas estamos a enfrentando bem. Podemos crescer sem fazer nenhuma bobagem. Estamos abrindo agências e precisamos de gente", disse ele.

» Concursos abrem 16 mil vagas com salário de até R$ 22 mil

Hereda afirmou que a previsão é de um 2013 com a taxa Selic na casa de um dígito e não descarta novas quedas de taxas para o consumidor final, a exemplo do que aconteceu nos últimos meses. "Mesmo com ajuste, os juros devem se manter em um dígito no ano que vem. Não é só a questão da presidente (Dilma Rousseff) pedir. "A Caixa é um banco público e o que o nosso controlador (o governo) enxerga, para nós é importante", afirma.

Ele diz que na questão do emprego no setor bancário, a atuação da Caixa tem sido essencial. "Se não contratássemos, teríamos um número negativo (em 2012). Conseguimos equilibrar isso", diz. A projeção é que a Caixa esteja entre os três maiores bancos do País nos próximos 10 anos. "A Caixa não vai crescer comprando outros bancos, vai crescer organicamente".

O banco tem planos de expansão de suas linhas de crédito e prevê o lançamento novos produtos para empresas, com antecipação de recebíveis e uma linha popular para a compra de móveis e linha branca, além de entrar também no crédito agrícola.

Terra