0

Bovespa fecha em queda e volta a acumular perdas no ano

14 nov 2012
15h19

O principal índice acionário da Bolsa de Valores de Sâo Paulo (Bovespa) caiu ao menor nível em quase dez semanas nesta quarta-feira e voltou a acumular perdas no ano, diante de persistentes dúvidas sobre a recuperação da atividade global e sinais de fraqueza da economia brasileira. O Ibovespa fechou em queda de 2,1%, a 56.279 pontos - no menor patamar desde 4 de setembro. Com isso, o índice agora acumula desvalorização de 0,84% no ano.

"O mercado continua indefinido, com viés de baixa no curto prazo, muito próximo de um suporte importante nos 56.200 pontos", disse o analista técnico Daniel Marques, da Ágora Corretora no Rio de Janeiro.

Segundo ele, o fraco giro financeiro da Bovespa nas últimas semanas dificultava a definição de uma tendência clara para o mercado. O giro financeiro da sessão foi de R$ 6,29 bilhões, abaixo da média diária de R$ 7,2 bilhões em 2012.

Para explicar o tombo do índice, profissionais de mercado citavam motivos bastante conhecidos pelos investidores: crise europeia, riscos fiscais nos Estados Unidos, intervenção do governo e recuperação ainda incerta da economia brasileira. "Existe uma somatória de fatores negativos tanto no exterior como no Brasil", disse o diretor de estratégia e produtos Infinity Asset, André Paes. "Isso tudo pesa no mercado."

Uma série de protestos em países europeus contra medidas de austeridade permaneceu no foco de investidores nesta quarta-feira, ao passo que um discurso do presidente dos EUA, Barack Obama, concentrou as atenções no fim do pregão.

Segundo Obama, se não houver acordo sobre o "abismo fiscal" - cortes de gastos e aumentos de impostos que podem entrar automaticamente em vigor no início do ano que vem -, a economia americana pode voltar à recessão. Em Nova York, o índice Dow Jones tinha queda de 0,94% às 17h59 (de Brasília) e o S&P 500 perdia 0,72%. Mais cedo, o principal índice europeu de ações fechou em queda de 0,98%.

Na cena doméstica, a desaceleração da economia brasileira em setembro, conforme revelada pelo IBC-Br, pesou no humor de investidores, que já mostram preocupação com intervenções do governo brasileiro em setores como elétrico, bancos e telefonia. Além disso, operadores também citaram que investidores mostravam cautela antes do feriado nacional na quinta-feira, que fechará a Bovespa, e ajustes para o vencimento de opções sobre ações na segunda-feira.

Dentre as blue chips, a preferencial da Vale caiu 1,85%, a R$ 35,63, e a da Petrobras perdeu 3,27%, a R$ 19,80. OGX caiu 3,77%, a R$ 4,60. Fibria e MRV Engenharia lideraram as perdas do Ibovespa, com queda de 5,82% e 5,51%, respectivamente. Apenas 10 dos 68 papéis que compõem o índice fecharam no azul, com destaque para B2W, que subiu 4,95%, a R$ 10,82, após resultado do terceiro trimestre.

Saiba mais
O mercado acompanha de perto o desempenho do Ibovespa porque este é o mais importante indicador do desempenho médio das cotações do mercado de ações brasileiro. O índice retrata o comportamento dos principais papéis negociados na bolsa. A pontuação do Ibovespa aumenta na medida em que sobe o valor das ações.

Com informações da Reuters

Fonte: Terra
publicidade