3 eventos ao vivo

Banco lança cartão pré-pago; foco é consumidor sem conta corrente

30 out 2012
14h59

A partir de amanhã, o Banco Bonsucessopassa a apostar em uma fatia do mercado consumidor que ainda não tem conta em banco. Nesta quarta-feira, será possível comprar um cartão pré-pago - recarregável - pela internet, em unidades do banco em todo o País. A partir do dia 5, os cartões serão vendidos em supermercados, farmácias e redes de varejo. O Meo Cartão Dinheiro tem bandeira da MasterCard.

De acordo com a empresa, o uso do cartão é idêntico aos demais, ou seja, realiza compras em lojas e na internet e permite que o cliente saque dinheiro. A carga mínima é de R$ 10 e a máxima de R$ 5 mil ao mês; o cartão será aceito no Brasil ou no exterior.

A empresa promete que o consumidor não terá "surpresas", pois apenas poderá gastar a quantia que tiver colocado previamente e promete também que as principais tarifas pagas pelo usuário serão convertidas em bônus para celular. Segundo a instituição, o usuário deverá preencher em boleto - que virá com o cartão - o valor que deseja depositar e pagá-lo em qualquer banco, casa lotérica ou correspondente bancário.

"O cliente também pode transferir créditos carregados no Meo para celulares pré-pagos, via SMS, ou ainda, para outras pessoas que possuem o Meo, assim como acessar saldos e extratos", diz o banco.

Ao solicitar o cartão pelo site (http://meocartao.com.br/), o interessado receberá um cartão virtual para poder usá-lo imediatamente em compras na internet e, depois, receberá o de plástico em casa.

Segundo dados do banco, atualmente cerca de 40% da população não possui acesso a serviços financeiros e 55% dos salários são pagos em dinheiro. A MasterCard estima que o mercado mundial de cartões pré-pagos deverá movimentar US$ 822 bilhões em 2017.

A companhia diz que o maior mercado é os EUA, mas há tendência de crescimento em todo o mundo. Nos Estados Unidos, o movimento em 2010 foi de US$ 152 bilhões e a previsão é que em 2017 chegue a US$ 421 bilhões, diz a empresa. "Na América Latina os dois principais mercadossão México e Brasil, sendo esse último o principal potencial. Em 2010, a América Latina movimentou US$ 15 bilhões e a estimativa é que em 2017 esse valor chegue a US$ 133 bilhões."

A novidade vem um dia após o governo federal anunciar um projeto de lei - que será enviado ao Congresso - que regulamenta o uso de telefones celulares para efetuar pagamentos. Segundo o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, a medida tem por objetivo simplificar transações e realizar inclusão financeira, transformando os telefones móveis em carteiras.

"Há um volume significativo de pessoas que recebe seus salários em dinheiro exclusivamente. (...) Nós não vamos acabar com o dinheiro, mas queremos dar uma opção que é mais tranqüila e segura. Em vez de a pessoa ir no banco e receber o dinheiro e depois ir pagando, ele pode receber pelo celular e fazeres pagamentos", disse o ministro.

Fonte: Terra
publicidade