Economia

publicidade
11 de março de 2013 • 08h04

Ação da OGX cai à mínima histórica após queda na produção

ZONAS - América Latina

As ações da OGX desabavam nesta segunda-feira, chegando a ser negociadas no menor nível intradiário da história do papel, após a petrolífera de Eike Batista ter registrado em fevereiro seu menor volume de produção médio por poço marítimo.

Às 10h44 (de Brasília), o papel tinha queda de 13,5%, a R$ 2,69, enquanto o Ibovespa perdia 0,55%. Na mínima até o momento, o papel chegou a cair 19,9%, a R$ 2,49 - na pior cotação desde a estreia das ações da companhia na BM&FBovespa em 2008.

Segundo comunicado divulgado pela OGX nesta segunda-feira, a média por poço foi de 3,8 mil barris de óleo equivalente por dia em fevereiro ante 4,9 mil em janeiro. "É mais uma decepção para o mercado", disse o gerente de renda variável da H.Commcor Corretora, Ariovaldo Santos, em São Paulo. "O papel se tornou muito especulativo, sujeito a movimentos de giro." Na última quinta-feira, as ações da OGX saltaram 16,4% após o grupo EBX, do qual a petrolífera faz parte, ter anunciado uma parceria estratégica com o BTG Pactual.

Reuters News